CidadesDepredação

Depredação de monumentos históricos em Niterói causa prejuízos

0
Tamanho da fonte: A- A+ Por: Vinícius Rodrigues 28/04/2013

Prefeitura gasta R$ 10 mil com conservação e restauração de peças que foram destruídas em atos de vandalismo. Gesto compromete a história e causa prejuízos nos cofres públicos

Monumentos históricos, bustos e patrimônios públicos, têm a função de contar a história de uma determinada região. No entanto, a depredação e atos de vandalismo acabam por manchar o lado histórico dessas obras de arte e geram um prejuízo para restaurá-los. Em Niterói, a Prefeitura informou que gasta cerca de R$ 10 mil por mês, só com os monumentos cadastrados e catalogados.

A Secretaria de Conservação e Serviços Públicos de Niterói está realizando um recenseamento sobre os bustos e placas de toda a cidade para identificar e catalogar os mesmos. Ao final deste estudo, será feita a manutenção e recolocação dos monumentos que não estão mais no local, seja por motivo de roubo ou depredação. O total exato com os custeios só poderá ser calculado com exatidão após a lista completa desses monumentos.

Um dos exemplos mais recentes de vandalismo na cidade foi na Praça Leoni Ramos, em São Domingos. O busto de Dom Pedro II foi recolhido em maio do ano passado para manutenção após queda durante uma briga no local. Recolocado no último dia 11, a peça recebeu uma limpeza. O serviço foi realizado por funcionários da própria Seconser, não tendo tido nenhum custo. 

A peça retratando Dom Pedro II foi fundida em bronze, sendo assentada sobre um globo terrestre esculpido em granito, com meridianos e paralelos feitos também de bronze. O conjunto da obra tem como base um monolito de rocha sólida.

A recolocação do busto faz parte do projeto de conservação da Praça Leoni Ramos, que está recebendo também a manutenção dos pisos dos degraus, pisos de paralelepípedos de pedra nos balanços e bancos e replantio das plantas das jardineiras. “Essas estátuas na cidade são lindas. É uma pena que pessoas possam destruir um patrimônio público, sendo que as histórias são contadas de maneira bonita”, disse a moradora de São Domingos, Vilma Batista Sodré, 45 anos.

Outras depredações – Em 2010, uma das pedras que embelezam a Praia das Flechas foi alvo de vândalos, que picharam o monumento. Além disso, a mureta do Museu do Ingá também foi alvo de vandalismo, onde por diversas vezes foi repintado para apagar as marcas de tinta.

Em 2009, três rapazes foram surpreendidos na madrugada pichando a lateral externa da Ponte Rio-Niterói. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagrou o trio perto do acesso à via pela Avenida Brasil, na região da zona portuária, após receber uma denúncia anônima. Já em 2011, dois jovens de 23 e 18 anos, também foram presos pela Polícia Rodoviária Federal, acusados de picharem a ponte.

Para o artista plástico e pesquisador Maurício Castelano, a solução começa ao entender que é preciso ir além da limpeza e entender o fenômeno social que está por trás dos rabiscos incompreensíveis dos pichadores, além da ‘fúria por depredações’. “Pintar muros ou tentar proteger o patrimônio até contraria e causa afrontas a esses vândalos. Geralmente a resposta virá em dobro. É preciso que haja uma conscientização da população de que o investimento nessas esculturas não é barato. Para restaurar, gera tempo, dinheiro e paciência”, disse ele.

 


O FLUMINENSE


AVALIE:

 

Enviar para amigo Imprimir

Comente a Notícia

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Grupo O Fluminense. Mensagens que contenham ofensas, acusações e palavrões ou xingamentos não serão publicadas.

Comentários

Esta matéria possui 1 comentário(s)
  1. Sergio Martins - 29/04/2013 - 12:38

    O Obelisco da Praia de Icaraí também foi pichado semana passada; além disso, a estrutura de concreto no qual a placa do nome da Rua Comendador Queiroz está afixada está extremamente deteriorada, onde a estrutura de ferro está exposta à ação degradante do tempo. Por favor, Secretaria de Urbanismo (ou a Secretaria competente), cuidem de nossa cidade. Monumentos são obras de arte ao ar livre e devem ser muito bem cuidados. Aos vândalos, é lamentável o fato de não possuírem senso de propriedade!

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.

Publicidade:



Redes Sociais






Fale com
a Redação

(21) 2125-3065