CidadesCadastramento

PLANTÃO /

Cadastramento biométrico em Niterói

Tamanho da fonte: A- A+ 01/05/2013 - 15:28

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, o governador Sérgio Cabral e o vice-governador e coordenador de Infraestrutura, Luiz Fernando Pezão, participaram na última segunda-feira do início do cadastramento biométrico dos 376.021 eleitores do município. O procedimento, obrigatório, será realizado até o dia 31 de outubro no Estádio Caio Martins e em outros dois postos montados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na Região Oceânica e no Centro do Rio.
 
O sistema de leitura biométrica, que começou a ser testado em Búzios em 2009, identifica a identidade do eleitor por meio de impressões digitais e impede que alguém vote no lugar de um cidadão ou utilize um documento falso para tirar o título.

- Acho importante esse processo porque senti na pele o que é desvio de voto. Em 1994, a primeira situação de desvio ocorreu comigo no Tijuca Tênis Clube. A partir de 1996, com a urna eletrônica, o Brasil passou a ser um exemplo para o mundo. Agora, o Sistema Biométrico é um passo ousado que vai manter o país na vanguarda do processo eleitoral - afirmou o governador, que aproveitou a ocasião para pedir ajuda às concessionárias que atuam na cidade para ajudar a mobilizar e esclarecer a população.
 
Após a solenidade de abertura, o prefeito de Niterói se cadastrou na presença do governador e ressaltou a parceria do município com o governo do Estado e com o Tribunal Regional Eleitoral.

- Niterói é uma cidade diferenciada, com uma população de alto nível de escolaridade, participativa e acredito que essa iniciativa do TRE aperfeiçoa a democracia no Brasil e ampliando a participação do povo nas decisões do Estado. O recadastramento biométrico é um avanço que torna a eleição mais ágil e transparente. Tenho certeza que a população de Niterói vai dar um, belo exemplo de cidadania e participação. disse Rodrigo Neves.

A presidenta do TRE-RJ, a desembargadora Letícia Sardas, esclareceu que o eleitor que não realizar o cadastro terá o título cancelado, o que impede a pessoa de, por exemplo, tirar passaporte e prestar concurso público. Ela destacou ainda que o procedimento é importante para o TRE fazer a revisão do eleitorado no município.

- O recadastramento vai possibilitar que o TRE saiba quem é o eleitor e saiba o real índice de abstenção nas eleições - afirmou Letícia.


O Fluminense