PolíciaConfronto

Confronto e revolta na favela do Sabão, em Niterói

5
Tamanho da fonte: A- A+ Por: Priscilla Aguiar 19/11/2012

Moradores da comunidade teriam tentado fechar acesso à Ponte Rio- Niterói, após homem morrer baleado. Três foram presos. Drogas e duas armas foram apreendidos

Moradores da favela do Sabão, em São Lourenço, em Niterói, tentaram fechar nesta segunda-feira, a Ponte Rio-Niterói, por volta das 11 horas, depois que um morador da comunidade foi morto durante um confronto com a polícia. O grupo utilizou pedras, madeiras e pneus, na tentativa de bloquear um dos acessos à Ponte, próximo à Rua Benjamin Constant. A Polícia Militar e a Polícia Rodoviária Federal retiraram os materiais e o tráfego foi liberado, sem causar grandes prejuízos ao trânsito.

A troca de tiros aconteceu um pouco mais cedo em uma operação do Serviço de Inteligência do 12º Batalhão da Polícia Militar, em parceria com a Supervisão Oficial e Policiais dos Patrulhamentos Táticos Móveis (Patamos) do Morro do Estado, no Centro e do Cavalão, em Icaraí. 

Além de Luiz Carlos Rodrigues da Silva, de 18 anos, conhecido como Diboi, morto com um tiro de fuzil 556, que perfurou o tórax, mais três pessoas foram detidas. Leandro Souza da Silva, 30 anos, que já tem passagem pela polícia por tráfico de drogas e dois mandados de prisão e dois menores, um de 15 e outro de 17 anos.

Foram apreendidos ainda duas pistolas 9 milímetros, 96 pedras de crack, 93 papelotes de cocaína, 11 cápsulas de êxtase, três celulares e R$ 23 em espécie.

De acordo com a PM, a operação era para coibir o tráfico de drogas e o porte ilegal de armas. Os policiais das Patamos entraram pela quadra da comunidade, onde teria começado a troca de tiros e os policiais do Serviço de Inteligência entraram pela borracharia para inibir uma possível tentativa de fuga.  

Segundo informações da polícia, uma das pistolas apreendidas foi encontrada com Luiz Carlos, o jovem morto. A família dele, no entanto, afirma que ele era trabalhador e foi atingido por acaso.

“Ele estudava e era trabalhador. Trabalhava vendendo guaraná no sinal, ele não merecia isso. Estava lanchando antes de ir trabalhar, quando escutou os tiros se assustou e saiu correndo”, contou a mãe de Luiz Carlos, Ana Paula Rodrigues, servente, de 39 anos.

O caso foi registrado na 77ª DP (Icaraí).

 

Operação – Na madrugada desta segunda-feira, duas pessoas foram baleadas durante um confronto com a Polícia, desta vez na comunidade do Mato Grosso, no Sapê, em Niterói. Igor Henrique do Nascimento, de 19 anos e um menor de 17 anos. Os dois foram levados para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca.


O FLUMINENSE


AVALIE:

 

Enviar para amigo Imprimir

Comente a Notícia

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Grupo O Fluminense. Mensagens que contenham ofensas, acusações e palavrões ou xingamentos não serão publicadas.

Comentários

Esta matéria possui 25 comentário(s)
  1. CABO JULIO 12º BPM ou JULINHO DO LARGO DO MARRÃO - 20/11/2012 - 12:39

    A culpa é da família, pois, se tivessem denunciado o trafico teriam a chance de tirará-lo da marginalidade, preferiaram se calar, então não culpem a PM, o que não pode é morrer policias e pessoas de bem (trabalhadores), bandidos tem que serem presos, caso contrário ir para vala. Parabens aos colegas da P2 do 12º BPM, isto é a prova de que se a comunidade denuncia a PM dá a resposta mostrando o seu trabalho.

  2. caf - 19/11/2012 - 14:03

    Chumbo neles, para acabar com essa bandidagem em Niterói e todo o Brasil.

  3. REINALDO - 19/11/2012 - 14:05

    TODOS SÃO ANJOS e vão pro cèu.

  4. Hamilton Azeredo - 19/11/2012 - 14:38

    Nessas horas o atingido é sempre inocente!
    Tem que apurar pra ver se era um simples vendedor de suco mesmo ou tava ligado com o trafico!

  5. Voz do Povo - 19/11/2012 - 15:03

    Vai na localidade conhecida como chacará, no MORRO DO ESTADO. Tráfico 24h dia, armamento pesado e os moradores de bem sendo reféns dessa corja. ATENÇÃO AUTORIDADES, OS MORADORES DA CHACARÁ PEDEM SOCORRO!!!!!

  6. Andréa - 19/11/2012 - 15:27

    Precisamos urgentemente de mais policiamento em niterói, está ficando cada vez mais complicado, prefeitura por favor olhe por nós

  7. Antonio Carlos - 19/11/2012 - 16:22

    Parabéns PMRJ !
    Continue assim, não dando tregua aos bandidos em todos os bairros de Niterói.
    A população de Niterói não aguenta mais toda essa violência.
    Moradores das comunidades, vocês e suas famílias merecem viver em paz. Continuem denunciando o tráfico de drogas e os esconderijos de armas e de criminosos na sua comunidade.
    Liguem para o Disque-denuncia 2253-1177 ou o P2 do 12º BPM 2717-6865.

  8. rodrigo - 19/11/2012 - 16:45

    eu tava ai no sabado numa festa

  9. Informação - 19/11/2012 - 17:13

    É isso madeira neles , vagabundo bom é vagabundo morto! P-2 é para isso,inteligência! Niterói não aguenta mais esse monte de vagabundo ,roubando traficando,matando e etc.....

  10. carlos - 19/11/2012 - 18:56

    tem que fazer uma operação dessas é aqui no morro do estado, tem muito bandido aqui, tanto que eles foram envadir a chumbada em SG, todos comandados pelo Änão¨.

  11. junior - 19/11/2012 - 19:26

    A polícia militar sempre faz o que quer nas comunidades, este será mais um caso que cairá no esquecimento, pois nunca saberemos se o rapaz é inocente ou não, mais um para estatística.

  12. junior - 19/11/2012 - 19:29

    A policia finge inocente e o estado finge que puni...
    Eles não entram desta forma na zona sul, ou em qualquer outro lugar que tenha pessoas com nível social melhor, duvido!!!!!

  13. Morador - 19/11/2012 - 20:55

    Normalmente a policia entra atirando e salve-se quem puder!

  14. Valdeis - 19/11/2012 - 23:16

    Bom trabalho, parabéns ao pessoal da PMERJ.
    Vergonha dos familiares desse traficante, sebem que o filho esta na bandidagem e não fazem nada pra mudar isso, e ainda se beneficiam disso, depois de morto passam a mão na cabeça dizendo que eram trabalhadores, estudantes, etc... Ora parem de hipocrisia senhores, botou a mão numa arma e tentou a sorte, pra mim ja foi tarde.
    Parabéns aos GUERREIROS da P2, que estão desempenhando um exelente trabalho em nossa cidade, removendo esse tipo de câncer.

  15. WALTINHO - 19/11/2012 - 12:03

    Tomei um susto,foi justamente na hora em que fui ao borracheiro,que fica na entrada da favela.Vários caras entraram atirando na favela...pareciam ter os alvos planejados já,ou então,saíram atirando em qualquer um.

  16. Adriano Felício - 19/11/2012 - 12:07

    Lamentamos muito essa onda de violência que toma nossa cidade. Acreditamos que a PM esteja preparada para cuidar da população. Entretanto, para que não haja dúvida sobre o ocorrido, é necessário que o caso seja investigado com a devida atenção.

  17. francisco - 20/11/2012 - 17:06

    É coitado mais um estudante que morre, esses estudantes que morrem assim são uma trágica coincidencia. Desde quando estudante é profissão? tava estudando o que? Canabis ativa?
    Quem deve estar muito feliz são o governador e o prefeito do rio afinal, essas manchetes eram vistas apenas lá e agora, com o milagre das UPP, são vistas em todo o estado. conseguiram socializar os vagabundos, que estão em todos os cantos, a família deveria procurar o Beltrame e cobrar algum, ele é o culpado.

  18. junior - 20/11/2012 - 13:49

    E a culpa seria de quem quando PMs teriam que cumprir seus deveres, se calam também, diante de propina(arrego) pago pelos bandidos, fomentando ainda mais o tráfico, aumentando o poder deles nas comunidades e tirando até a própria vida de PMs. Famílias podem até denunciar, mas será que as denuncias chegam onde tem que chegar, e se chegam são cumpridas as diligencias?

  19. junior - 20/11/2012 - 11:46

    O dia que acontecer com um familiar desses que aplaudem, vão chorar e pedir justiça, mas não vão ter, pois todos vão chamar de bandidos e nunca saberão realmente o que aconteceu... se é bandido ou não, não sei, mas que a policia é covarde nas comunidades isso é verdade e não precisar comprovar está em todo lugar todos sabem.

  20. THORR - 21/11/2012 - 00:26

    Belissímo trabalho da P2 passa o rodo nessa vaga*****da awe... e concordo com o Cabo Julio.. penso a mesma coisa... bota a vaga*****gem pro meio da pista e taca fogo que para de ter mortes da comunidade!!! Parem de proteger vagabundo!

  21. Dante - 21/11/2012 - 15:20

    Mesmo com essas "baixas", o Inferno ainda tem muitas vagas.

  22. Cindi Rodrigues - 21/11/2012 - 14:07

    Luiz Carlos era um trabalhador , um rapaz muito bom , não fazia mal a ninguém , esses policiais deveriam ser presos , eles sim são assassinos , o Deboi não era um bandido , e mesmo se fosse vocês não tem direito de tirar a vida de ninguém!
    Não houve nenhuma troca de tiros!
    Me explique,se foi troca de tiros , porque vocês deram um tiro de Fuzil nas costas dele?
    E não socorreram porque?
    Ele pediu socorro os policiais não deixaram ninguém socorrer ele!
    Queremos justiça!
    meu primo é inocente

  23. arnaldo - 21/11/2012 - 10:22

    Não esqueçam da rua mario vianna,que esta infestada de bandidos,na Beltrao,vendem drogas na frente da padaria e no Viradouro ficam o dia inteiro armados e vendendo drogas,e ainda fazem bailes funks nos finas de semana dentro da Escola

  24. cesar d almeida - 21/11/2012 - 17:32

    Tiro d fuzil contra pistola, é muita violencia. Uma bala d fuzil ali naqela comunidade imagina o perigo q é c errar o alvo. São casas humildes sem nenhuma instrutura e pessoas andando e d fora d suas casas, a realidade ali é desumana.
    Até q provem o contrario há um morto, c é bandido ou morador ou trab é outra só a pericia prá chegar à um denominador comum.

  25. rui B - 22/11/2012 - 17:17

    falta tanta coisa em Niteroi...sobra corrupção
    Rapido agentes de saude...nas cozinhas do centro...Inspectores...chega de bandidos no centro

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.

Publicidade:



Redes Sociais






Fale com
a Redação

(21) 2125-3065