PolíciaPMs

PMs de São Gonçalo suspeitos de extorquir mototaxistas

0
Tamanho da fonte: A- A+ Por: Paula Hartmann e Hilton Sarandy 27/03/2013

Corregedoria da PM filma os suspeitos em diversas situações que, de acordo com o inquérito, podem ser classificadas como corrupção. Militar foi preso em flagrante

Onze agentes do 7° BPM (São Gonçalo) foram encaminhados ao Conselho Disciplinar da Polícia Militar sob a acusação de extorsão a mototaxistas no Jóquei, em São Gonçalo. Os suspeitos faziam parte do Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) do bairro e do setor de radiopatrulhamento da cidade e segundo a PM podem ser expulsos da corporação.

A ação é resultado de uma investigação de cinco meses feita pela Corregedoria da PM, que filmou os suspeitos em diversas situações que, de acordo com o inquérito, podem ser classificadas como corrupção.

Em um desses vídeos é possível ver um mototaxista recolhendo dinheiro de seus colegas, num ponto do Jóquei. Logo após, um sargento passa pelo grupo e aperta a mão de um dos homens. Em seguida o policial sai com a mão no bolso, como se guardasse alguma coisa. Em outra filmagem, um mototaxista passa o braço pela grade do posto de patrulhamento da PM e entrega alguma coisa ao policial que estava lá dentro.

A investigação aponta que um dos condutores era recrutado para recolher a propina e entregar aos policiais. Ao todo, 11 agentes foram indiciados por corrupção. Os suspeitos foram afastados do serviço, tiveram o porte de arma suspenso e a carteira funcional apreendida.

Um deles acabou sendo preso em flagrante na última sexta-feira, antes do fim das investigações, por comprar ilegalmente uma pistola israelense. No carro dele, segundo a polícia, foram encontradas além da arma, 80 cápsulas de cocaína e material para embalar a droga. O soldado foi autuado por tráfico e porte ilegal de arma.

Propina - Ainda segundo a investigação, os agentes cobravam R$ 10 por semana de cada mototaxista, estando a moto na irregularidade ou não. Os que se recusassem a pagar a propina sofriam ameaças de terem suas motos apreendidas e serem impedidos de circular.

Em troca do pagamento, os policiais faziam vista grossa em relação à documentação e a regularidade dos veículos e dos pilotos. A segurança também era negligenciada: as motos circulavam carregando dois passageiros, inclusive crianças, sem capacete. O caso foi encaminhado para o Ministério Público Militar (MPM), que formalizou o pedido de prisão dos policiais acusados com alegação de risco para as testemunhas. A Justiça Militar ainda decidirá se irá acatar ou não o pedido.

Procurado, o comandante do 7º BPM, coronel Luiz Eduardo Freire, estava em uma reunião e não retornou as ligações. O Batalhão de São Gonçalo é o mesmo em que estavam lotados os policiais militares acusados de matar a juíza Patrícia Acioli, em agosto de 2011.

Dois comandantes presos

Nos últimos anos, o Batalhão de São Gonçalo tem  sido palco de escândalos envolvendo a prisão de policiais. Em 2011, dois comandantes da unidade foram presos. Um deles, o tenente-coronel Cláudio Luiz de Oliveira, é acusado junto com outros 11 PMs da morte da juíza Patrícia Acioli, executada com 21 tiros em Piratininga. O militar está preso em presídio de segurança máxima federal.

De acordo com denúncia do Ministério Público, a morte da juíza teria sido planejada em represália às investigações feitas pela magistrada contra os militares, que eram suspeitos de forjarem autos de resistência.

Já o tenente-coronel Djalma José Beltrami Teixeira, que assumiu o Batalhão de São Gonçalo em substituição a Oliveira, foi preso logo depois com outros 12 PMs da unidade. De acordo com a Divisão de Homicídios, responsável pelas investigações na época, os militares haviam se associado a traficantes e recebiam propina para não reprimir a venda de entorpecentes. Tempos depois, o delegado responsável pelo caso foi acusado de forçar testemunhas a incriminarem o coronel, que não teria envolvimento no esquema de seus subordinados.

Em 2012, mais prisões

Em dezembro do ano passado, mais prisões de PMs do 7º BPM. Os cabos Rodrigo dos Santos Souza e Marcos Aurélio da Conceição Soares, foram detidos por determinação da Juíza de Auditoria Militar, Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barroso, após investigações do Ministério Público sobre a conivência de ambos em um homicídio e uma tentativa de morte no Lindo Parque em 7 de outubro. Segundo o MP, eles teriam contribuído de forma indireta para fuga dos acusados do assassinato, ao invés de prendê-los.

Em outubro, três policiais do 7º BPM foram presos por agentes da 4ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM), no Mutuá, acusados de extorsão mediante sequestro. Segundo investigações, dois homens suspeitos, que estavam num carro, foram capturados por dois policiais. Um deles teria ficado algemado dentro da viatura, enquanto o outro teria sido autorizado a ir buscar R$ 50 mil exigidos como resgate.

Segundo o tenente coronel Medeiros, chefe da 4ª DPJM, a ação foi desencadeada depois que uma testemunha denunciou o esquema. De acordo com ele, outro PM que estava no batalhão dava apoio à ação criminosa.

Câmeras de vigilância

Para monitorar os policiais militares em ação, 61 viaturas do Batalhão de São Gonçalo passaram a circular nas ruas da cidade desde o início do mês com câmeras que captam imagens em alta definição. Os equipamentos registram as ações dos agentes durante 24 horas por dia. A previsão é de que até o fim do ano dois mil veículos de todos os batalhões do estado ganhem os kits de videomonitoramento. O Investimento é de R$ 18 milhões.

As duas câmeras instaladas em cada viatura gravam até imagens noturnas, além de registrar a rota e localização das equipes da corporação. O comandante do batalhão ou o comando da Polícia Militar poderão assistir às movimentações em tempo real, via tecnologia 3G, usada pelas operadoras de telefonia. Todo material capturado pelas câmeras instaladas nas viaturas da PM também é transmitido via wi-fi para um sistema de armazenamento da corporação, onde ficará arquivado por 60 dias.

A Polícia Militar ainda está avaliando de que forma o acompanhamento das imagens será realizado. Além de trazerem mais transparência ao trabalho policial, as imagens serão utilizadas em treinamentos de equipes.


O FLUMINENSE


AVALIE:

 

Enviar para amigo Imprimir

Comente a Notícia

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Grupo O Fluminense. Mensagens que contenham ofensas, acusações e palavrões ou xingamentos não serão publicadas.

Comentários

Esta matéria possui 18 comentário(s)
  1. fala tudo - 28/03/2013 - 18:38

    é o cabo julio nem comenta essas matérias..

    os policiais aki de santa luzia tbm pegam...

    1 blazer 1834 é a que mais sufoca as motos e sá levam de 50 pra cima e o plantão dela esse mês é dias pares...

  2. Kenny - 28/03/2013 - 22:31

    Alô Cabo Julio!!!!! E aí, cadê os seus comentários??? Será que você teria nomes para dar? Que tal aproveitar a oportunidade para "jogar no ventilador"?! Você gosta de elogiar, e está certo! Mas agora não é hora de elogiar, e queremos ler os seus comentários. Cortar na própria carne. E agora?!

  3. DELETANDO - 28/03/2013 - 00:45

    xiiiiiiiiiiiiiiii ai cabo

  4. Agora assim - 28/03/2013 - 00:54

    Agora aqui em Niterói ta precisando também de uma limpeza dessas

  5. Cláudio - 28/03/2013 - 23:10

    PM é uma instituição falida. Porque existe uma Policia Militar se o estado é civil? Esse tipo de polícia só no Brasil existe. Todo mundo sabe que é uma instituição corrupta. Infelizmente existe mais policial corrupto que honesto. PM deveria acabar.

  6. josé - 28/03/2013 - 07:06

    Favela do inferninho em piratininga e ciclovia dominada por meliantes oriundos do rio de janeiro , todos armados de pistola e fuzil , coisa que antes não existia , chega a ser vergonhoso , e se o crime existe alguém está levando com isso , por que se a polícia quiser ela acabá com essa sacanagem , e ai 12 bpm vamos trabalhar !!

  7. max maximus - 28/03/2013 - 07:55

    o dudu ta lendo kk, me conte algo de novo isso nao e novidade por sao gonçalo vergonha gonçalense enquanto uns honrram a farda e o estado, outros querem dar uma de espertinho fora o q pegam das bocas de fumo né,esse 7 bpm tem q acabar de vez vergonha gonçalense nunca vai dar pra separar o joio do trigo,sera q esses policiais nao pensam uma arma dessa pode a vir matar um filho dele ou um parente lamentavel o dinheiro fala mais alto coloca o bope ou a força nacional no lugar do 7 bpm...

  8. denunciador - 28/03/2013 - 08:13

    Até que enfim estão vasculhando essa corporação onde grande parte dos policiais vivem com bens incompatíveis com a renda. A extorsão policial já é considerada normal por grande parte da população que não acredita mais em mudanças!

  9. visitante - 28/03/2013 - 08:30

    ai DPJM faz a coisa certa prende quem tem envolvimento, se não sabem investigar não investiguem tem familias sofrendo pela divulgação das investigações tendenciosas de vocês.

  10. jansen pires - 28/03/2013 - 11:13

    ihhh , vai acabar com o batalhão....

  11. Lucia - 28/03/2013 - 11:27

    Eu nao sei aonde escrever,ou aonde reclamar! Mais espero sinceramente que providencias sejam tomadas Urgentes,no transito desta cidade.
    Presenciei ontem dia 27/03 dois acidentes HORRIVEIS um quando subia a Estrada da Cachoeira,quando dois carros tentavam ultrapassar um ao outro e um tirou um fino de um motociclista que nada,tinha a ver com a corrida ridicula fez com que o condutor da moto fosse de corpo e moto no barranco da subida desta estrada.isso nao pode continuar acontecendo.

  12. marina - 28/03/2013 - 12:11

    isso é uma vergonha eles são piores doque os traficantes , pelo menos os traficantes assumem , e os PM se escondem atrás de uma farda , por isso q tanto PM ta morrendo , prq eles entram pra corporação sabendo q o salário é uma merreca , prq não estudam p ter outra profissão , entram leigos e saem afiados nas paradas erradas , só digo estudem estudem estudem , só lamento essas desgraças com nossos mininos , q pena !!!!!!!

  13. diego silva souza - 28/03/2013 - 12:54

    Vai acabar com o 7º batalhão assim ... Batalhão da vergonha, pior que o 9º (Rocha Miranda)...

  14. abandonei o barco - 28/03/2013 - 13:18

    vergonhoso.........

  15. Frank - 28/03/2013 - 15:44

    A corregedoria não deveria se limitar a pegar os PM's bandidos chamados peixe pequeno,mas começar a colocar para rua oficiais como Comandantes de Batalhões, TenCel, Major, Capitão, Tenentes... afinal de contas, se há corrupção na Corporação, com certeza existem muitos oficiais envolvidos para darem cobertura. Os que são "tirados" do rolo e presos, são os que roubam menos. Se é para elevar o moral da Instituição, prendam os grandes e acabem com a rede de corrupção dentro dos Batalhões.

  16. raphael - 28/03/2013 - 17:06

    são muito marginais

  17. Ernesto Clemente - 28/03/2013 - 17:33

    Estranho, por que o sr. Cabo Julio não comentou ainda esta matéria? Gostaria de ler o que ele tem a dizer.

  18. Federal - 29/03/2013 - 18:59

    Tem muito mais coisa que a corregedoria pricisa investigar, como barzinho de propriedade de pm pertubando o sosego da vizinhança durante a madrugada....

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.

Publicidade:



Redes Sociais






Fale com
a Redação

(21) 2125-3065