PolíciaPolícia

Polícia ‘sacode’ Morro do Bonfim para coibir assaltos na Alameda, Niterói

1
Tamanho da fonte: A- A+ Por: Vinicius Rodrigues 16/01/2013

PM é recebida a tiros ao chegar na comunidade do Fonseca e bandidos conseguem fugir por matagal Papelotes de cocaína, trouxinhas de maconha e crack são apreendidos na operação

Policiais do 12º BPM (Niterói) foram recebidos a tiros em uma operação realizada na manhã de quarta-feira no Morro do Bonfim, no Fonseca. Segundo os agentes, cerca de seis homens - que seriam traficantes da localidade - fugiram após o confronto pela Rua Teixeira de Freitas, em direção à mata.

Apesar do cerco realizado pelos policiais, os bandidos conseguiram escapar. Na operação, os PMs apreenderam 157 papelotes de cocaína, 28 trouxinhas de maconha e 17 pedras de crack que estavam no interior de uma casa que seria utilizada pelos traficantes. O caso foi registrado na 78ª DP (Fonseca).

A ação foi desencadeada após denúncias ao Batalhão de Niterói informando sobre diversos assaltos realizados em toda a extensão da Alameda São Boaventura ao longo das últimas semanas. Segundo informação dos policiais, a comunidade do Bonfim é controlada pela facção criminosa Comando Vermelho (CV), com gerenciamento do traficante conhecido como Malucão.

A incursão aconteceu por volta das 8h. Após os policiais se aproximarem da localidade denunciada, foram recebidos a tiros pelos bandidos. O confronto durou cerca de cinco minutos. Quando os policiais conseguirem chegar à casa, os traficantes já tinham fugido. “Foi muito tiro que eu escutei, mas os policiais disseram que haverá incursão ‘direto’ aqui. O Fonseca está complicado cara. A cada dia piora”, disse um morador da região, de 69 anos.

Os policiais confirmaram que haverá operação rotineira nas áreas do Morro do Céu, Caramujo, Bonfim Caixa d’água e Teixeira de Freitas. Todo o complexo seria gerenciado por um traficante como Di Neném. Além disso, o pedido da ação ostensiva foi feito pelo comandante do 12º BPM (Niterói), coronel Wolney Dias.

Memória – A violência no Fonseca não é de hoje e tem assustado moradores do bairro. Um Sargento do 12º BPM (Niterói), de 47 anos, foi morto a tiros em abril do ano passado. O crime aconteceu por volta das 21h, quando o PM, que estava à paisana, tentou impedir um assalto a um posto de gasolina, que fica na Av. Professor João Brasil, próximo à Alameda São Boaventura. A ação do policial resultou na troca de tiros com os bandidos.

Em outubro passado, três pessoas foram baleadas em tiroteio após tentativa de assalto na manhã na porta de uma agência bancária, na Alameda São Boaventura, no Fonseca. O assaltante morreu.


O FLUMINENSE


AVALIE:

 

Enviar para amigo Imprimir

Comente a Notícia

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Grupo O Fluminense. Mensagens que contenham ofensas, acusações e palavrões ou xingamentos não serão publicadas.

Comentários

Esta matéria possui 5 comentário(s)
  1. 007 - 16/01/2013 - 22:12

    Parabéns à polícia, por mais uma vitória. Realmente a população do Fonseca, tá sofrendo com os bandidos,

  2. Carol - 17/01/2013 - 05:58

    AMEM!

    Lembraram que. Fonseca existe!

  3. zoiudo - 17/01/2013 - 11:09

    Cara realmente a alameda ta sinistra,esses passou um carro na entra do bairro chique,tocando funk e uns 4 dentro do carro com armas pra fora,parecendo o dono da rua aff.Tem que exterminar essa raca...

  4. chico - 17/01/2013 - 18:17

    tudo bem que a copa é no rio mais aqui em niterói esta precisando e muito de upps nas comunidades e patrulhamentos nas ruas da cidade por que ta brabo.

  5. Ambrósio Pena - 17/01/2013 - 19:53

    E mesmo assim a bandidagem continua em franca atividade. Se a tradução literal de "sacode" fosse VALA a coisa seria muito diferente. Se juntamente com as apreensões dos "produtos" também grampeassem os respectivos titulares, o resultado também seria outro, e bem diferente por sinal .

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.


Publicidade:

Publicidade:



Redes Sociais






Fale com
a Redação

(21) 2125-3065