PolíciaTraficantes

Traficantes de drogas levam medo aos moradores do Complexo do Caramujo

1.5
Tamanho da fonte: A- A+ Por: Marcelo Almeida 03/08/2013

Bandidos da cidade do Rio de Janeiro migram para o bairro, implantam terror no Morro do Céu e voltam a tornar perigosas as principais vias de acesso da região

Traficantes de drogas oriundos do Rio podem estar por detrás dos recentes crimes praticados na comunidade do Caramujo, na Zona Norte de Niterói, e principais vias que cortam o bairro e adjacências, que voltaram a ser consideradas perigosas pelos motoristas e também pelos policiais, visto que dois deles foram baleados recentemente na região. A polícia informou que já identificou vários bandidos que atuam na área e assim que concluir o inquérito promete desencadear uma operação na região para prender os suspeitos.

Segundo moradores, nas últimas três semanas pelo menos duas pessoas teriam sido mortas e enterradas no antigo aterro sanitário do Morro do Céu. As famílias das vítimas teriam sido ameaçadas para não procurarem a polícia. “Uma delas chegou a pedir corpo para poder fazer um velório, mas até esse pedido foi negado pelos traficantes”, revelou um morador. Há cerca de 10 dias, uma adolescente de 16 anos, moradora da comunidade, teria sido estuprada por vários traficantes.

Para alavancar a venda de drogas nas comunidades, os traficantes oriundos do Rio estariam promovendo bailes funk embalados por “proibidões”, músicas que fazem apologia ao crime. De acordo com o Serviço Disque Denúncia, este ano, das 112 denúncias sobre bailes funk promovidos por traficantes em Niterói, a maioria (18) fazem referência ao Complexo do Caramujo, seguido pela comunidade do Viradouro, em Santa Rosa, com 17, e Nova Brasília, na Engenhoca, com 15.

Segundo o Disque Denúncia, esses bailes ocorrem preferencialmente às sextas, sábados e domingos. Começam por volta das 23 horas e terminam na madrugada do dia seguinte. Provocam muito barulho e menores de idade comparecem em grande número, fazendo uso de drogas e bebidas alcoólicas.

O clima no Caramujo começou a “esquentar” em maio. No dia 21, um policial do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) foi baleado nas costas durante patrulhamento na região, onde são realizadas constantes apreensões de drogas. O ataque – segundo a polícia - foi feito por traficantes do Morro do Céu, que dispararam em direção à viatura que teve o para-brisa e a lateral danificados. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar, no Rio.

Em resposta a esse ataque, uma semana depois, o Batalhão de Operações Especiais (Bope) montou uma operação e entrou no Complexo para tentar prender os autores do ataque. Durante a ação houve um intenso tiroteio e dois homens suspeitos foram baleados e acabaram morrendo. Com eles – segundo a polícia - foram apreendidos dois fuzis, um Ruger e um MD 2, além de 406 cápsulas de cocaína, 286 papelotes de maconha e 36 pedras de crack.

Este mês o inspetor Heitor Barbirato, da 78ª DP (Fonseca), foi vítima de um assaltado na Estrada Alarico de Souza, na Ititioca, que dá acesso ao Morro do Céu. O policial teve a moto e a pistola calibre 40 roubada depois de tentar se defender trocando tiros com os bandidos. Ele acabou sendo baleado cinco vezes na região do abdômen e na perna direita, mas conseguiu atingir um dos bandidos.
 O delegado da 78ª DP (Fonseca) informou que já existe inquérito instaurado na distrital para investigar as denúncias sobre o tráfico de drogas.

 “Estamos com várias pessoas já identificadas que atuam no tráfico de drogas. Depois de finalizado, mandados de prisão serão solicitados e uma operação para prender os principais envolvidos pode ser montada”.

Memória

Há alguns anos a região era conhecida pela violência. Em 2001, Odair Souza da Costa, o Corujinha, e Jurandyr da Silva Filho, o QV ou Didi, foram acusados pela polícia de matar e incinerar dois motoristas de van, em 2003, no Morro do Céu. As vítimas seriam os topiqueiros Jocimar Ferreira Bulhão e Fábio Lopes da Silva, ambos com 33 anos na época. Segundo a polícia, os dois foram incinerados vivos pelos traficantes no forno usado para queimar lixo hospitalar.

Segundo a acusação, os criminosos se passaram por representantes de um grupo de evangélicos que estavam solicitando uma saída até uma igreja em Araruama, na Região dos Lagos. A ordem para o crime teria sido dada por um homem identificado como Vinho, porque os motoristas teriam denunciado um dos integrantes da quadrilha, conhecido como “Cacau”, que acabou preso.

Segundo peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), pedaços de roupas das vítimas foram encontradas no local onde os corpos teriam sido incinerados.


O Fluminense


AVALIE:

 

Enviar para amigo Imprimir

Comente a Notícia

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Grupo O Fluminense. Mensagens que contenham ofensas, acusações e palavrões ou xingamentos não serão publicadas.

Comentários

Esta matéria possui 11 comentário(s)
  1. Rubens - 05/08/2013 - 15:38

    Por que ainda ficam surpresos destas pragas virem para ca ?: Tomem uma providencia logo

  2. Falo Mesmo - 05/08/2013 - 16:14

    Desfila de moto na minha frente para ver se não vira pino de boliche jogo tudo para o alto.

  3. CABO JULIO 12º BPM ou JULINHO DO LARGO DO MARRÃO - 05/08/2013 - 17:36

    Srº Luiz, com a mais absoluta certeza a policia está dando resposta para todos os eventos ocorridos em nossa area de atuação, estamos trabalhando para levar todos esses marginais para tras das grades, contamos com a ajuda da população. Liguem para o DD 22531177, P2 do 12º BPM 27176865 ou Delegacia local e denunciem esconderijos de armas, drogas e homizios de bandidos. Juntos, moradores de bem e o 12º BPM vamos reestabelecer a paz e levar a segurança que os moradores tanto almejam.

  4. Basta - 05/08/2013 - 22:28

    Não é segredo para ninguém que o Caramujo está cheio de bandidos oriundos das Comunidades Ocupadas no Rio de Janeiro.Além disso um dos "lideres" do trafico é fugitivo do Presidio Vicente Piragibe, ele é conhecido como Para ou Coroa e comanda o trafico do local conhecido com Barreirinha que pertence ao Caramujo.Outro traficante que é chamado de chefinho e é conhecido como Tio Neném.Os traficantes passeiam pelo local a luz do dia armados passam diversas vezes em frente ao DPO o que não é segredo.

  5. Basta - 05/08/2013 - 22:32

    Os traficantes usam as redes sociais para divulgarem os bailes na comunidade. Segue abaixo link de um dos traficantes conhecido como Samangão. Em sua página ele declara que efetuou disparos em uma viatura da PMERJ.
    https://www.facebook.com/samanga.trembalacemfreio?fref=ts

  6. Chega de violencia no Fonseca - 04/08/2013 - 16:22

    Nós moradores da zona norte estamos cada vez mais proibidos de voltar tarde da noite para casa , rua Carlos Maximiliano, Magnólia Brasil , Duarte Galvão , Airosa Galvão, 22 de novembro, bairro chic , leite ribeiro , joão brasil, ponto de cem réis e etc... estão sendo alvo de assalto constantes a motoristas e pedestres , finais de semana a noite não existe policiamento nas redondezas, menores infratores de motos circulam a todo tempo após 20 hrs e nada de um policial passar na hora ! Brasil !

  7. Luiz - 05/08/2013 - 14:18

    Seria bom a polícia dar uma resposta rápida, antes que eles se alastrem e passem a considerar o local como um paraíso.

  8. ALEX - 06/08/2013 - 14:33

    O Caramujo está uma vergonha. Cabo Julio, já seria um bom começo se fossem identificados os PM's que recebem o "arrego" pra que os bailes aconteçam.

  9. Fernanda - 06/08/2013 - 12:01

    Santa Bárbara é alvo constante de bandidos de moto. Chegar em casa depois das 19hs se tornou muito perigoso.

  10. euuuu - 07/08/2013 - 00:31

    Os moradores da rua São José esta sofrendo com a bandidagem do caramujo,pois todo dia tem assalto.Ta na hora de ocupar esta comunidade. Quantos mais criminosos a segurança pública vai expulsar das comunidades do Rio de Janeiro???Quando a segurança pública vai lembrar que Niterói esta sendo tomada por bandidos???Até quando seremos reféns do trafico de drogas e de Policiais corruptos???Niterói precisa de socorro imediato.

  11. euuuu - 07/08/2013 - 00:37

    CB Julio, quantas denuncias teremos que fazer???Da uma olhada no comentário do Basta, até a rede social é usada pelos bandidos. A policia não prende pq não quer.Quantas vezes teremos que ligar para o disque denuncia,batalhões ou 190???Me desculpe Cb Julio mas nós queremos providência imediata, nós queremos mas atitude e menos Blábláblá. Precisamos de ação e não de discurso.

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.