PolíciaSubtenente

Subtenente da PM morto em Itaboraí sepultado com honras militares

0
Tamanho da fonte: A- A+ Por: Cláudio Emanuel 09/02/2013

Policial é baleado por traficantes durante operação na Rua 100, é socorrido, mas não resiste aos ferimentos. Local do confronto seria um dos mais violentos da região

O corpo do subtenente da Polícia Militar Fredes Macário da Silva, de 46 anos, que morreu baleado na Rua Cem, em Itaboraí, quando investigava junto com colegas denúncias sobre tráfico de drogas, foi sepultado no sábado com honras militares no Cemitério do Maruí, no Barreto, em Niterói. Cerca de 300 pessoas acompanharam o enterro, entre elas o prefeito de Itaboraí, Helil Cardozo. Entre os familiares, colegas de farda e amigos, o clima era de muita tristeza e revolta.

No final da solenidade as bandeiras do Brasil e do Fluminense que cobriam o caixão foram entregues aos familiares. O militar era lotado no 35º BPM (Itaboraí) e tinha 24 anos de corporação. Atualmente estava no Serviço Reservado (P-2).

Muitos dos presentes não resistiram e choraram quando foi pedido um minuto de silêncio junto ao toque da Banda da Polícia Militar. O comandante do batalhão, tenente-coronel Wagner Nunes, compareceu ao sepultamento. O subtenente era casado, tinha dois filhos e morava no Barreto. 

Segundo a polícia, o oficial foi baleado na madrugada de sábado por traficantes de drogas da Rua Cem, em Itaboraí, quando investigava informações passadas ao Disque Denúncia dando conta de que homens estariam armados num ponto de drogas conhecido por “Campo da Lixeira, na Rua Cem, acesso pela Avenida 22 de Maio, no centro do município. O militar foi ferido gravemente e socorrido pelos colegas, sendo levado para o Hospital Municipal de Itaboraí, mas não resistiu aos ferimentos e morreu quando era medicado. As investigações do assassinato também estão por conta do Setor de Investigações (SI) da 71ª DP (Itaboraí).

Caçada a bandidos- Durante o enterro do subtenente Fredes Macário da Silva, colegas de farda do oficial prometeram se empenhar para a captura dos responsáveis pela morte do militar. Com receio de atrapalhar as investigações, os policiais evitaram dar informações sobre possível ocupação do bairro da Ampliação.

Os agentes do Serviço Reservado (P-2) têm conhecimento que o tráfico de drogas da Rua Cem e ruas vizinhas, em Itaboraí, é explorado por pessoas ligadas ao grupo da facção criminosa Comando Vermelho (CV) e teriam armamento pesado, além de contar com ajuda de comparsas de comunidades dos morros e favelas do Grande Rio.

As incursões dos PMs na localidade são constantes e acabam em prisões de envolvidos com o tráfico de drogas e apreensão de armas de fogo.


O FLUMINENSE


AVALIE:

 

Enviar para amigo Imprimir

Comente a Notícia

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Grupo O Fluminense. Mensagens que contenham ofensas, acusações e palavrões ou xingamentos não serão publicadas.

Comentários

Esta matéria possui 12 comentário(s)
  1. Federal - 09/02/2013 - 18:40

    Mais um "grande sucesso de audiencia" da politica espanta bandidos do sergio cabral.Cabral avisa quando vai entrar no morro, a bandidagem sai do morro, transfere as armas e se estabelece "do outro lado da poça" e na região dos lagos..EH CABRAL !

  2. Federal - 09/02/2013 - 18:43

    Esta morte precisa ser bem investigada.Pelo que lí , os policiais foram ao local após receber denuncia de que haviam bandidos armados no local. Ora se a denuncia estabelecia a existencia de bandidos armados , a força policial enviada ao local deveria ser maximizada , mas pelo que lí , apenas uma viatura foi ao local e não tiveram nem tempo de reagir aos disparos efetuados pelos marginais.Cabe investigação séria ,pois as informações divulgadas indicam erro de procedimento ou cilada.

  3. Federal - 09/02/2013 - 18:45

    Segundo costa, o tiro fatal foi no abdomem..SEM COLETE?

  4. Lucia - 09/02/2013 - 19:55

    E uma tristeza ler noticias como essas,por policiais que dao a sua vida(mereciam seguro de vida)maior proteçao, mais equipamento e salarios dignos.Cabral!! vc fala muiiiiito e faz pouco pela populaçao em geral!

  5. Professor Marcelo Moraes - 09/02/2013 - 23:14

    Eu queria entender o Artigo 144 da Constituição Federal, pois o que vejo é uma bagunça de atribuições, PM sem farda fazendo investigação, isso é atribuição da Policia Civil, INVESTIGAR O TRÁFICO DE DROGAS, é atribuição da Policia Federal, mais ela não faz isso, é só ler a constituição e arrumar essa bagunça, cada um no seu quadrado, que as coisas vão se arrumar, o que não podemos e ver nossos pais de famílias morrendo desse jeito, pelas mãos do fora da lei, pois o estado mesmo não há cumpre.

  6. henrique - 09/02/2013 - 21:25

    Conhecia o policial, super honesto, familia, humilde, amigo, nao merecia este fim. A familia, muita forca, peco ao poder publico que prestem toda assessoria e dedicacao a familia que ate agora nada fizeram.

  7. CABO JULIO 12º BPM ou JULINHO DO LARGO DO MARRÃO - 10/02/2013 - 03:32

    Fiquei muito triste ao ler essa noticia, mais um policial morto pelas maso de marginais da Lei, isto é inadimissivel.

  8. Marcelo - 10/02/2013 - 07:41

    Meu caro xará, me entristece ver alguém que se intitula Professor vir numa matéria em que um Policial de bem teve sua vida ceifada, e escrever tanta coisa sem conhecimento. Só para esclarecê-lo:
    A Policia Federal é responsável pela investigação, exclusiva, do trafico de drogas, na sua modalidade importação/exportação, ou seja, impedir que a droga entre e/ou saia do território nacional, a partir do momento que já esta sendo comercializada em solo nacional, a investigação da Policia Civil passa..

  9. Marcelo - 10/02/2013 - 07:42

    Espero ter esclarecido um pouco de suas duvidas, e guarde este tipo de comentários pra matérias pertinentes, respeite a dor da família, dos amigos....
    Meus sentimentos em especial a família desse nobre guerreiro!!

  10. Paulo Xavier - 10/02/2013 - 15:56

    O Prof. Marcelo Moraes está correto no seu comentário, mas a coisa sempre funcionou assim. Na grande maioria dos casos é a PM que bota a cara na frente e aí vai depender do fator sorte. Nessa o Sub Ten deu azar.

  11. carvalho - 11/02/2013 - 12:31

    O Sub Ten Fredes foi um dos melhores policias com quem tive a honra de trabalhar, simples, sincero, honesto,bem humorado, íntegro, dedicado, humilde. Estes são apenas alguns de seus predicados.Muito me entristece, numa hora dessas ler comentários como o do "Professor" Marcelo, que tão somente denota sua falta de conhecimento à respeito. A missão Constitucional da PM é a preservação da ordem pública e isto implica na repressão a qualquer tipo de crime. Morreu fazendo o que mais gostava. Adeus!

  12. Sérgio - 12/02/2013 - 13:28

    Tive a honra de conhecer esse exemplar policial. Um grande amigo, excelente profissional, grande pai e líder familiar. Me pergunto se os DH vieram a público desejar ao menos pêsames aos seus familiares. Triste saber que somos obrigados a ver bandidos sendo tratados como "infelizes que não tiveram oportunidade" e cidadões corretos serem assassinados covardemente e nada a ser feito. Lástimavel perda...descanse em paz "Fred" !!!

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.

Publicidade:



Redes Sociais






Fale com
a Redação

(21) 2125-3065