Assine o fluminense

Corrida para garantir o melhor peixe

Em Niterói, Mercado São Pedro deve receber cerca de 30 mil clientes até domingo

Consumidores foram às compras em busca do melhor peixe para a Sexta-feira Santa e o Domingo de Páscoa

Foto: Marcelo Feitosa

A Semana Santa chegou e um dos pratos que não pode faltar na mesa é o peixe. Dos mais diversos tipos, preços e tamanhos, o peixe é sempre presença garantida nos almoços e jantares das famílias nesta época de Páscoa. 

O Mercado São Pedro, que fica no Centro de Niterói, é um dos comércios mais procurados, especialmente na quinta e Sexta-feira Santa. Em 2019 não é diferente: são esperadas cerca de 30 mil clientes até o domingo. Para Valdeci Gomes, único vendedor de bacalhau no lugar, o movimento tem sido satisfatório. 

"Só eu vendo bacalhau dentro do mercado de peixe. Hoje o movimento melhorou em relação aos dias normais, estimo cerca de 30%,creio eu. Em relação a páscoa do ano passado a procura de bacalhau se manteve estável. Eu vendo o lombo bacalhau limpo, sem espinha central, sem abas, rabo e barbatana", disse. 

O bacalhau é item indispensável na Páscoa. Embora a procura seja grande, consumidores reclamam de uma alta do preço em relação a 2018. De acordo com o gerente comercial Waldo Faim, o aumento no quilo foi de R$ 40. No entanto, isso não o impediu de manter a tradição. 

"Não pode faltar bacalhau na Semana Santa. O preço está um pouco salgado em relação ao ano passado. O quilo era R$ 60 e hoje está saindo a R$ 100. Vamos garantir a tradição, mas o preço poderia estar melhor. Os outros peixes estão com preço bom, mas calculo ter gasto cerca de 20% a mais do que em 2019. Vou cozinhar uma salada de bacalhau e um badejo", disse.

Cerca de trinta mil consumidores devem passar pelo mercado até domingo

Foto: Marcelo Feitosa

Assim como Waldo, a subtenente do Corpo de Bombeiros, Verônica Marques, se mostrou assustada com os preços mais altos. Ela disse que precisou trocar o filé de linguado, que costumava comprar todos os anos, por pescada, cujo quilo está R$ 15 mais barato.  

“Queria comprar um filé de linguado, mas achei caro. Ano passado estava cerca de R$ 40 o quilo e, neste ano, subiu para R$ 45. Consegui um filé de pescada a R$ 30, mais em conta e que estava num bom aspecto para garantir a semana santa”, contou. 

Verônica ainda fez um alerta para que as pessoas não deixem para comprar de última hora, pois mesmo na quinta-feira o movimento no Mercado de São Pedro já era grande.  

“O mercado está bem cheio, difícil de andar hoje, imagina amanhã. Por isso não quis deixar para última hora", concluiu. 

O porta-voz do Mercado São Pedro e comerciante, Mário Manarino, diz que a estratégia dos vendedores para 2019 é praticar preços baixos levando em conta o momento de recessão e retração da economia no país. Para que isso seja possível, estão sendo priorizadas as vendas de peixes de qualidade, porém de menor valor, como corvina, xerelete, dourado, anchova e namorado batata. 

Em contrapartida, a prática de vender peixes mais sofisticados como chernes, robalos, linguado, salmão e camarão VG, não foi adotada. Com isso, o movimento do comércio está sendo mantido o mesmo em relação a 2018 tanto em peso quanto em volume de público, com preços cerca de 50% menores. 

Mário ainda ressalta que, além do preço justo, o mercado aposta em bom atendimento e qualidade de seus produtos.  

“O segredo é fazer promoções associando preço justo, qualidade e atendimento. Órgãos como Inmetro, vigilância sanitária e Procon fazem sua inspeção rotineira como em todos os anos comprovando a regularidade dos produtos do mercado, o consumidor pode confiar na qualidade dos produtos", disse. 

O Mercado de São Pedro está aberto entre 5h e 17h nesta sexta-feira. Além das bancas de peixes, o estabelecimento conta com praça de alimentação especializada em frutos do mar e loja de artigos de pesca. Seu endereço é Avenida Visconde do Rio Branco, número 55. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comments

Scroll To Top