Assine o fluminense

Radares das RJs 104 e 106 na berlinda

Quantidade dos pardais e implantação dos aparelhos geram reclamações por conta do risco e redução do fluxo turístico na Região dos Lagos

Com o objetivo de entender o número excessivo de radares nas rodovias estaduais de acesso à Região dos Lagos, as Comissões de Transportes e de Turismo da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) ouviram na quarta-feira (08) os representantes do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RJ) e do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem-RJ). Segundo o presidente da Comissão de Turismo, deputado Welberth Rezende (PPS), a implantação desses pardais têm impacto na redução do fluxo turístico, além disso muitos estão localizados em áreas consideradas de risco, com um alto índice de criminalidade. As comissões também querem um estudo técnico dos órgãos responsáveis que justifiquem a instalação dos redutores de velocidade, bem como entender e discutir como é feita a homologação, aferição e os laudos dos equipamentos.

Os parlamentares presentes na audiência destacaram a existência de uma lei estadual, de autoria do deputado Dionísio Lins (PP), presidente da Comissão de Transportes, que não permite a instalação de radares nas áreas com alto risco de criminalidade. O presidente da Comissão de Turismo observou ainda que há radares com pouca visibilidade. “Na região entre Unamar e Barra de São João, o pardal fica num poste atrás de um coqueiro. A pessoa que passa pela primeira vez ali vai ser multada. Se o caráter do radar não é arrecadatório, mas educativo, porque não colocar uma placa antes? ”questionou.

A deputada Zeidan Lula (PT), vice-presidente da Comissão de Turismo e residente em Maricá, informou que já solicitou à Secretaria de Segurança a mancha criminal da região onde estão os radares, principalmente de locais em que ocorrem os assaltos mais violentos e nos quais os motoristas são obrigados a reduzir a velocidade. Zeidan sugeriu ao representante do DER que o órgão realize parcerias com os municípios para melhoria das estradas. Neste sentido, a parlamentar defendeu a utilização dos royalties do petróleo, que beneficiam a região, para a construção de mais passarelas nessas localidades

Secretário de Transportes de Rio das Ostras, Marcus Rezende disse que o município teve que entrar na Justiça para impedir que o DER instalasse radares no centro urbano da cidade, cortada pela BR-101:

“É um absurdo o DER instalar radares nas cidades sem ouvir os responsáveis pela mobilidade dos municípios”, criticou.

Questionamentos sobre a eficácia dos radares

Integrante do grupo, a deputada Enfermeira Rejane (PCdoB) destacou que apesar do Estado do Rio de Janeiro está sob o regime de recuperação fiscal, não se pode colocar os pardais com o objetivo de arrecadar. “Há várias formas de educar a população e não é com radares para um segmento da população. Taxar cada vez mais o cidadão não é solução. O deputado Chicão Bulhões também questionou a eficácia dos radares: “Qualquer política pública tem de ser eficaz”. O deputado também quer saber como é destinado o dinheiro arrecadado com as multas.

Por sua vez, o deputado Filippe Poubel (PSL), que mora em Maricá, contou que é usuário assíduo e diário da RJ 106. Informou que devido aos acidentes e assaltos considera a pista como “rodovia da morte”. O parlamentar queixou-se da falta de manutenção da estrada e também da quantidade de arrastões. Ele também reivindicou a necessidade de construir passarela nessas vias. “ Todos sofrem naquela estrada”, desabafou.

Fonte: Alerj

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comments

José Nóbrega
As estradas brasileiras são uma vergonha. Cheias de buracos e sem sinalização adequada. Mesmo assim os responsáveis teimam em culpar os motoristas pelos acidentes nas estradas. Com a desculpa de "aumentar" a segurança, eles lotam as estradas de radares que só servem para aumentar a insegurança nas áreas de risco. Pois com a velocidade reduzida para 30km/h ou 40km/h, fica fácil para os bandidos nos abordarem. Mas o principal objetivo certamente é a arrecadação, que não deixa de ser uma extorsão aos motoristas.
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

Sebastião
É o caça níquel cada dia aumenta mais. Não é proibido? As maquinas não podem, mais radares pode.
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

Veja também

Scroll To Top