Assine o fluminense

Atleta radicada em Niterói é campeã no UFC

Jéssica Andrade nocauteou americana no Rio

Jéssica fez jus ao apelido e venceu com um bate-estaca

Douglas Macedo

É de Niterói! A lutadora paranaense e radicada em Niterói, Jéssica Andrade, fez jus ao apelido de Bate-Estaca e derrotou com o golpe a campeã da categoria peso-palha norte-americana Rose Namajunas, na madrugada deste domingo, no UFC Rio. A atleta do Paraná Vale-Tudo (PRVT), no Cubango, Zona Norte, se tornou a primeira brasileira a ter o cinturão da categoria, na segunda tentativa. Com o peso de fazer a principal luta da noite e tentar a vitória no card principal, após derrotas de José Aldo, Anderson Silva e Beth Corrêa, Jéssica entrou no octógono debaixo de muitos gritos dos torcedores brasileiros na Arena Jeunesse.

Rose iniciou o round mostrando a razão de ter o melhor boxe da categoria. Em menos de um minuto de luta ela acertou o olho de Jéssica e abriu o supercílio da atleta. Mesmo assim, Bate-Estaca não recuou e também mostrou raça e coração para continuar indo para cima da americana. Na metade do round, o prenúncio do que viria: Jéssica deu o primeiro bate-estaca em Namajunas, que conseguiu cair se defendendo dos golpes.

No round seguinte a brasileira tentou encurtar a distância e foi para cima de Namajunas na tentativa de diminuir a envergadura da adversária. Após levar alguns jabs na altura dos olhos, a lutadora brasileira fez o clinch e as duas foram para a trocação franca na metade do segundo assalto.

Depois de tentar levar a brasileira para o chão, Jéssica surpreendeu Namajunas, jogando a atleta americana com a cabeça ao chão no movimento de bate-estaca, antes de finalizar a luta depois de alguns socos. O árbitro Marc Goddard correu para encerrar a luta e já pediu a entrada da equipe médica para atender Rose, enquanto Jéssica era muito festejada no octógono. No fim, nenhuma lesão na americana e festa total para a brasileira, nova campeã peso-palha da companhia.

"Eu estou muito feliz, mas esse cinturão aqui é deste cara aqui, porque sem ele, eu não teria chegado aqui hoje. Se ele não tivesse montado uma academia na sala da mãe dele há 10 anos, eu não estaria aqui. Então esse cinturão é mais dele, do meu mestre", diz Jéssica Andrade, homenageando seu mestre, Gilliard Paraná.
Ela ainda falou da estratégia para o round seguinte: "Eu vim muito consciente no segundo round, que ela estava mais lenta, que eu poderia nocautear. Eu consegui nocautear, que eu consegui dar um bate-estaca - eu nunca consegui um bate-estaca, finalmente saiu!", disse Andrade.

Eu voltei consciente do que poderia fazer. Vi que poderia imprimir melhor meu ritmo de luta e apesar do apelido eu nunca dei um bate-estaca. Consegui, galera”, disse Jéssica
“Eu quero agradecer a todos da família. Sem eles eu não teria conseguido. Muito obrigado, Brasil”, disse a lutadora emocionada, sendo ovacionada pela torcida.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comments

Scroll To Top