Assine o fluminense

Empate com folga na liderança

Na parada para a Copa do Mundo, Flamengo e Palmeiras empataram em 1 a 1, em jogo com sete expulsões

Thuler, que se emocionou ao marcar o gol rubro-negro, corre para abraçar os companheiros de time. Seria o empate

Foto: Staff Images / Flamengo

Palmeiras e Flamengo mostraram um futebol digno de postulantes ao título do Campeonato Brasileiro e uma vontade típica de Copa Libertadores da América. Nesta quarta-feira, os dois gigantes empataram por 1 a 1 no Allianz Parque na última partida do Brasileirão antes da parada para a Copa do Mundo, com direito a seis expulsos, três de cada lado. Melhor para o Rubro-Negro, que segue líder da competição, oito pontos à frente do Verdão.

Na rodada anterior, o Palmeiras encarou o lanterna Ceará, mas foi nesta quarta-feira, contra o líder Flamengo, que o início de jogo parecia um duelo contra o último colocado do Campeonato Brasileiro. O início do primeiro tempo foi um completo abafa do Maior Campeão do Brasil para cima dos visitantes.

Com apenas quatro minutos, Willian só não abriu o placar de cabeça por grande defesa espetacular de Diego Alves. No ataque seguinte, porém, Bruno Henrique ajeitou cruzamento de Dudu para Bigode apenas escorar para as redes e inaugurar o marcador, quebrando invencibilidade de 622 minutos do goleiro rubro-negro.

O domínio alviverde seguiu até a metade da etapa inicial, quando o Flamengo mudou seu plano de jogo e atitude em campo. Subindo a marcação, os visitantes passaram a sufocar a saída de bola palestrina e, quando tinham a posse, a movimentação de Vinicius Junior causava estrago, especialmente quando o jovem aparecia pelo centro do campo.

Por sua vez, o time de Roger Machado não encontrava os espaços na defesa flamenguista, apesar da marcação alta adversária. A falta de criação se deveu principalmente aos erros nas construções de jogadas de contra-ataque. Por vezes, a pressa causou passes errados, mas em outros momentos, faltaram opções para acelerar o jogo.

Na etapa final, o Palmeiras voltou disposto a imprimir o ritmo dos minutos iniciais de jogo. Em seis minutos, foram quatro oportunidades criadas, com direito a chance incrível perdida por Willian e defesas espetaculares de Diego Alves. Ao contrário do primeiro tempo, porém, o Verdão foi punido por não balançar as redes.

Em chutão da zaga flamenguista, Victor Luis foi pressionado pela marcação e, mesmo com espaço para recuar para Jailson, errou tempo de bola e cedeu escanteio ao Rubro-Negro. Na cobrança, Thuler mostrou mais impulsão que Thiago Martins e, no segundo poste, cabeceou no contrapé de Jailson para empatar a partida.

A igualdade no marcador desarrumou o time de Roger Machado. Dando mostras de cansaço, Hyoran pediu substituição e deu lugar a Lucas Lima, mas aberto pela direita, o camisa 20 não rendeu. O Flamengo seguiu melhor no duelo e só não virou porque Vinicius Junior, sem goleiro, chutou em cima de Thiago Martins.

Barbieri trocou Jean Lucas por Willian Arão, mas não alterou sua equipe taticamente. Já Roger Machado, sacou Felipe Melo para a entrada de Artur. Assim, Moisés passou a jogar como segundo volante, preferência do camisa 10, e Lucas Lima foi para o meio. A mudança não teve efeito positivo no Alviverde, que seguiu sem criar oportunidades claras de gol desde o tento visitante.

Ainda houve tempo para cenas lamentáveis minutos antes de tudo parar para a Copa do Mundo. Dudu aplicou drible em Cuéllar, foi derrubado pelo adversário, se levantou e empurrou o flamenguista. A confusão generalizada se instalou em campo e culminou com as expulsões dos dois atletas, além de Jailson e Luan pelo Verdão, Henrique Dourado e Jonas, pelo Rubro-Negro.

O primeiro a deixar o campo, Dudu foi ovacionado pela torcida, que o chamou de “Guerreiro”. Após os dez minutos de paralisação, o jogo recomeçou aos 55 com Moisés no gol palestrino. Porém, só houve tempo para o Verdão tentar dois cruzamentos na área antes de o juiz apitar o final da partida.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comments

Veja também

Scroll To Top