Assine o fluminense

Número de roubos de carga no Estado cai 25%, contabiliza ISP

Já as mortes por intervenção policial no Rio de Janeiro apresentaram aumento de 23% no mesmo período

A Rodovia BR-101 é apontada como um dos locais de maior incidência de roubos de carga no Estado do Rio

Arquivo

O número de roubos de cargas no Rio caiu de 892 em abril do ano passado para 667 em abril de 2019, a queda é de 25%. Os dados são do Instituto de Segurança Pública (ISP), e foram divulgados nesta segunda-feira (20). Comparando aos quatro primeiros meses de 2019, de janeiro a abril, o Estado também vem reduzindo o número de roubos de cargas. Foram 2.529 registros nesses meses em 2018 e 2.691 em 2019. São 838 casos a menos. Rodovias federais, como BR-101 (Niterói-Manilha) e BR-116 (Via Dutra), são os principais pontos onde ocorrem crimes dessa modalidade.

Na Niterói-Manilha, por exemplo, a queda em abril é de 55%. No mês passado, foram 12 casos na BR-101, enquanto em abril do ano passado foram 27 registros de roubo de cargas. 

Houve queda também no número de roubos de veículos de passeio, em 19%. Em abril de 2019, foram 3.755. Quase mil roubos a menos que no mesmo mês do ano passado, que foi de 4.656. Se comparado aos quatro primeiros meses do ano, a redução é de 26%.

O saldo também é positivo para cumprimento de mandados de prisão, que aumentaram em 27%. Em abril deste ano, a polícia conseguiu capturar 1.648 pessoas que estavam com mandado de prisão em aberto. Enquanto no ano passado, o número foi de 1.297.

O balanço, no entanto, não é positivo para os roubos de celulares, que aumentaram quase 16%. Em abril desse ano, foram 2.426 registros de roubo de celulares, enquanto no mesmo mês no ano passado, foram 2101 casos. Quando se trata de janeiro a abril, são 9.586 casos. No ano passado, nesse mesmo período, foram registrados 8.422 roubos de celulares.

Autos de resistência – As mortes por intervenção de agente do Estado apresentaram aumento de 23% em relação a abril de 2018, mas diminuíram 4% na comparação com março deste ano. Este indicador vem caindo mês a mês desde o começo do ano: em janeiro foram 160 mortes; em fevereiro, 145; em março, 129; e em abril, 124.

Nos quatro primeiros meses de 2019, as polícias Civil e Militar apreenderam 2.904 armas no estado, ou seja, 24 armas de fogo saíram das ruas por dia. Outro número expressivo foi o de apreensão de fuzis: 241. Ou seja, dois fuzis foram retirados das mãos dos criminosos por dia este ano. No acumulado de janeiro a abril, as apreensões de fuzis de 2019 foram as maiores dos últimos 12 anos no mesmo período.

Niterói e Maricá – O número de roubo a residências aumentou na Aisp 12, de responsabilidade do 12º BPM (Niterói). Entre janeiro e abril de 2019, foram 60 casos registrados, enquanto no ano passado foram 37 casos nesse período, um aumento de 62%. Em abril de 2019, foram 16 casos, e no mesmo mês no ano passado, a polícia registrou nove roubos a residências. Os roubos estão concentrados na Região Oceânica de Niterói e em Itaipuaçu, Maricá. 

Em Niterói, os números das mortes durante ações da polícia cresceram 650%. Em abril do ano passado, duas mortes foram registradas em ação da polícia. Neste mesmo mês, em 2019, foram 15 mortes. De janeiro a abril de 2019, foram registrados 47 casos, enquanto no ano passado foram 12. 

O roubo de rua apresentou uma queda de 31% nos quatro primeiros meses do ano. A prisão em flagrante aumentou 12%, em abril, em Niterói e Maricá.

São Gonçalo – Na cidade vizinha, o número de roubo em coletivos aumentou em 24% nos quatro primeiros meses do ano. Foram 383 casos, enquanto no mesmo período no ano passado ocorreram 307. O número de prisões em flagrante caiu no município. Segundo o ISP, foram 139 casos em abril, nove a menos se comparado ao mesmo mês em 2018. Já os casos de pessoas desaparecidas aumentaram em 47% no mês passado.

 
Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comments

Veja também

Scroll To Top