Assine o fluminense

Número de tiroteios em áreas escolares é menor neste ano

Rio, SG, Belford Roxo, Niterói e Caxias lideram ranking de registros

 

Divulgação/Fogo Cruzado

Nos 5 primeiros meses de 2019, a plataforma Fogo Cruzado registrou 3.504 tiroteios/disparos de arma de fogo na Região Metropolitana do Rio. Deste número, 1410 casos ocorreram em horário escolar no perímetro de 300 metros de escolas e creches da rede pública e privada, o que representa 40% dos registros desse ano. Ao todo, 6 pessoas foram baleadas dentro ou próximo de estabelecimentos de ensino, ninguém morreu. Comparado com o mesmo período de 2018 (1504 registros), houve uma queda de 6% no número de tiroteios no entorno de escolas este ano. Dos 3 baleados no mesmo período de 2018, 1 morreu.

No total deste ano, 1272 escolas e creches tiveram registros de tiroteios no entorno em horário escolar, destas, 695 foram da rede pública e 577 da rede privada de ensino. Em 2019 houve uma queda de 18% no número de estabelecimentos de ensino afetados comparado com 2018, quando 1553 escolas/creches foram afetadas.

O Rio de Janeiro foi o município com maior número de registros em áreas escolares (953), seguido de São Gonçalo (125), Belford Roxo (93), Niterói (77) e Duque de Caxias (59). O município do Rio representa 68% dos registros na Região Metropolitana.

A Vila Kennedy foi o bairro que concentrou o maior número de tiroteios/disparos no entorno de escolas e creches no Grande Rio este ano, foram 70 no total. Em seguida vem Tijuca (54), Complexo do Alemão (52), Cidade de Deus (49) e Praça Seca (42). O Complexo da Maré ficou na 20ª posição do ranking com 15 tiroteios/disparos, mas concentrou o maior número de mortos em tiroteios/disparos no entorno de escolas: 15 baleados, sendo 10 mortos.

Foi na Vila Kennedy o primeiro caso de balas perdidas dentro de escolas em 2019, que ocorreu ainda na primeira semana do ano letivo, quando a estudante Barbara Ferreira Cleto, de 12 anos, foi atingida dentro da quadra do colégio no dia 12 de fevereiro.

Também é na Vila Kennedy que estão as duas escolas mais afetadas por tiroteios no seu entorno: o Espaço de Desenvolvimento Infantil Vila Kennedy (41), e a Escola Municipal Coronel José Gomes Moreira (37). Em seguida, vem a Escola Municipal Alberto Rangel (23), na Cidade de Deus; O Ciep Doutor Antoine Magarinos Torres Filho (22) e a Creche Municipal Raio de Sol (22), na Tijuca.

A Zona Norte é a região do Grande Rio que concentra o maior número de tiroteios em áreas escolares: 501 – 36% do total, seguida da Zona Oeste (277), Baixada Fluminense (245), Leste Metropolitano (212), Zona Sul (89) e Centro (86).

Foi na Zona Norte que Júlia Oliveira Santos, de 13 anos foi atingida. A estudante foi baleada ao sair para a escola por volta das 7 horas da manhã do dia 02 de maio, quando começou um tiroteio no Complexo do Chapadão, na Pavuna.

Por ao menos 5 vezes, alunos, professores e funcionários tiveram que se abrigar no corredor das escolas do Grande Rio para se proteger de tiroteios – 3 destes casos ocorreram em colégios de São Gonçalo, no Leste Metropolitano.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comments

Veja também

Scroll To Top