Assine o fluminense

Quadrilha fez dezenas de vítimas

Cinco suspeitos, entre eles um menor, foram presos acusados de integrar bando que assaltava em clínicas dentárias

Homens são acusados de roubar clínicas dentárias de Niterói e São Gonçalo

Foto: colaboração Lislane Rottas

Cinco pessoas, entre elas um menor de idade, foram presas no início da manhã desta quarta-feira (13), em São Gonçalo, durante uma operação de agentes da 76ª DP (Centro de Niterói) para desbaratar uma quadrilha especializada em roubar clínicas odontológicas nos dois municípios. Segundo a polícia, pelo menos 20 estabelecimentos foram roubados pelo bando, alguns deles mais de uma vez. Os acusados foram presos em suas residências, nos bairros de Vista Alegre e Guaxindiba. 

As investigações duraram quatro meses. Os mandados de prisão preventiva (contra os maiores) e de busca e apreensão (contra o menor) foram expedidos pelas 1ª e 4ª Varas Criminais de Niterói, em razão de todos terem sido reconhecidos por várias vítimas em oito assaltos. A operação teve apoio de homens da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e de agentes da 72ª DP (Mutuá), da 73ª (Neves) e da 74ª DP (Alcântara). A polícia informou que a quadrilha agia usando uma réplica de pistola que foi apreendida.  

De acordo com Leandro Artilhes, um dos delegados responsáveis pelo caso, a polícia começou a desconfiar que os crimes eram praticados pela mesma quadrilha especializada a partir dos registros de ocorrências feitos pelas vítimas na 76ª DP. 

“Fomos nos atentando que nos registros o modo de agir dos assaltantes era o mesmo. E depois disso, começamos a avaliar os detalhes dos casos e também recebemos imagens de alguns estabelecimentos que foram vitimados. A partir daí, desenvolvemos o nosso trabalho de inteligência para poder chegar aos acusados e conseguir prender todos os autores. Por isso, temos certeza que não há dúvidas de que eles cometeram todos esses roubos”, declarou. 

O delegado pede para que outras vítimas da quadrilha compareçam à delegacia para reconhecer os acusados. 

“Quanto mais vítimas reconhecerem eles como autores, melhor será para a polícia”, disse. 

Atuação da quadrilha – Ainda segundo a polícia, os criminosos usavam até brackets falsos nos dentes, no intuito de não levantar suspeitas. A polícia afirmou que a quadrilha chegava nos locais, roubava o estabelecimento e também os clientes. 

De acordo com as investigações, durante os crimes as vítimas eram presas no banheiro e obrigadas a entregar cartões com senha. Os acusados ficavam até duas horas nos consultórios e usavam a máquina de cartão de crédito dos locais para testar se o cartão ia passar ou não e ter certeza de que as senhas fornecidas eram as corretas. 

Um comparsa ficava do lado de fora dando cobertura, e quem chegava para ser atendido também tinha os pertences roubados. Um dos integrantes da quadrilha chegou a comprar com um cartão de vítima, em um shopping de São Gonçalo, um cordão que custou R$ 7 mil. 

A polícia afirma que os acusados agiam em clínicas que tinham o mesmo perfil. Entradas de rua e que funcionavam em sobreloja. Nenhuma era situada em prédio comercial. Duas clínicas no Centro de Niterói chegaram a ser alvos dos bandidos por duas vezes. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comments

Veja também

Scroll To Top