Assine o fluminense
Coaching & Gestão

Palestrante, coach, mentor e escritor, José Haddad tem mais de 30 anos de experiência profissional, já tendo ocupado cargos executivos em grandes empresas, treinando e motivando profissionais

Comunicação é conexão



Um aspecto importantíssimo gerador de relacionamentos saudáveis no ambiente Organizacional é a clareza da informação daquilo que queremos comunicar.

Com raríssimas exceções, a maioria de nós quer se relacionar bem com as pessoas no ambiente corporativo.

Relacionamento, de um modo geral, é precipuamente comunicação e linguagem. O que eu comunico e qual a forma utilizada para comunicar.  

Por isso mesmo é que, muitos estudiosos da comunicação afirmam que, na comunicação, a falha está sempre com o comunicador.

No ambiente do relacionamento, existe um componente, que quando oculto, interfere significativamente no processo de comunicação. É a intencionalidade, o propósito.

Quantas vezes já aconteceu, em uma determinada situação, você ouvir da outra pessoa: “mas não foi isso que eu quis dizer”. E aí você responde: “mas foi isso que você disse”. E a outra pessoa retruca: “então vou tentar me explicar melhor”.

Isso acontece quando a intencionalidade está desconectada da comunicação e da linguagem. O motivo dessa desconexão é quase sempre baseado em que as pessoas não costumam ter clareza do que realmente querem comunicar (linguagem e forma).

Quanto maior for a precisão e riqueza de detalhes do que queremos, mais ampliamos a velocidade e encurtamos a distância em direção a nossa meta. No caso, ao que queremos comunicar.

Quase toda empresa tem problemas de comunicação e ou de linguagem. No ambiente de trabalho, é muito comum acontecerem falhas de comunicação. Por isso mesmo, é importante saber o que verdadeiramente todos querem, empregados e empregadores, começando na fase de recrutamento e seleção e posteriormente durante o exercício das funções profissionais.

Já fui chamado a prestar consultorias em grandes empresas, onde a reclamação dos empregadores era falta de comprometimento e não atingimento das metas de grande parte da equipe. Não raro, ao final do processo de investigação, concluía que as pessoas não produziam tudo que podiam, não por falta de estímulo, mas por não terem claramente definidas suas funções e responsabilidades. Por não saberem quais as reais expectativas dos seus empregadores em relação a eles. Em resumo, por falta de comunicação. Um simples trabalho de comunicação, que incluía redefinição de responsabilidades e expectativas, com direito a “feedbacks”, costumava resolver a situação, nesses casos.
Clareza na comunicação é fundamental. Encurta a fala e potencializa o discurso.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Mais notícias de

Scroll To Top