Assine o fluminense

Com falha em subestação, Angra 1 é desconectada do sistema interligado



O motivo para o desligamento foi um princípio de incêndio na canaleta dos cabos disjuntores

Ontem, às 22h29, a usina nuclear de Angra 1 foi desligada do Sistema Interligado Nacional (SIN) logo depois da Eletronuclear, subsidiária da Eletrobras responsável pela usina, ter detectado que houve uma falha em uma subestação de Furnas, que fica na central nuclear. A empresa informou que, com o evento, a usina perdeu a conexão com o sistema de linhas de transmissão de 500 kV ficando alimentada pelo sistema de 138kV. O motivo para o desligamento foi um princípio de incêndio na canaleta dos cabos disjuntores.

Esse desligamento do reator é uma medida de segurança prevista em situações  de falhas como essa. Durante o episódio, todos os sistemas da usina operaram de forma adequada e a mesma se encontra pronta para o retorno assim que os reparos na subestação sejam concluídos. Durante o processo não houve risco à segurança de Angra 1, aos trabalhadores da empresa, à população ou ao meio ambiente.

De acordo com Eletronuclear, técnicos de Furnas e da empresa estão trabalhando juntos na solução do problema, mas ainda não há uma previsão para conclusão do serviço
Angra 1 é a primeira usina nuclear brasileira. Ela entrou em operação comercial em 1985 e opera com um reator de água pressurizada (PWR), o mais utilizado no mundo. Com 640 megawatts de potência, Angra 1 gera energia suficiente para suprir uma cidade de 1 milhão de habitantes, como Porto Alegre ou São Luís.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top