Assine o fluminense

Corpo de Boechat é cremado em São Paulo



Cerimônia foi reservada para família e amigos

Jornalista Ricardo Boechat

Divulgação

O corpo do jornalista Ricardo Boechat, que morreu na queda de um helicóptero na segunda-feira, foi cremado nesta terça-feira (12), por volta das 16h. A cerimônia foi reservada para família e amigos, no Cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo.

O velório começou na noite de segunda-feira e se estendeu até o começo da tarde desta terça, no Museu da Imagem e do Som (MIS), nos Jardins, em São Paulo. O corpo foi seguido por um cortejo de taxistas. 

Por volta do meio-dia desta terça, o helicóptero em que estavam Boechat e o piloto Ronaldo Quatrucci caiu sobre um caminhão. A suspeita é que ambos tenham morrido carbonizados no momento do acidente.

A queda ocorreu no km 22 da Rodovia Anhanguera, sentido interior, com o Rodoanel, e acabou explodindo. O motorista do caminhão foi socorrido pela concessionária. Boechat estava voltando de Campinas, onde tinha ido dar uma palestra.

Buzinaço – Sob aplausos da multidão, o corpo do jornalista Ricardo Boechat deixou às 14h05 o Museu da Imagem e do Som (MIS). Uma longa fila de conhecidos, ex-colegas, telespectadores e ouvintes veio prestar as últimas homenagens ao âncora e comentarista.

Sobre o caixão foram colocados dois letreiros luminosos usados por táxis, categoria que tinha grande simpatia pelo jornalista, pelo contato direto ou pelos comentários na rádio e TV. Um grupo de taxistas chegou a fazer uma pequena carreata com buzinaço em frente ao museu.

Diversas autoridades estiveram presentes no velório. O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, compareceu representando o presidente Jair Bolsonaro, que está internado.

Sobre o caixão foram colocados dois letreiros luminosos usados por táxis

Rovena Rosa/Agência Brasil

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse que pretende discutir com a família um espaço para que seja feita uma homenagem ao jornalista. 

“Vamos buscar um espaço para homenageá-lo na cidade de São Paulo. Para que ele seja eternizado, para mostrar o exemplo que ele era para as futuras gerações”, disse Covas

Também vieram personalidades da comunicação, como o apresentador Serginho Groisman e o colunista social Amaury Jr.

Ainda emocionada, a viúva do jornalista, Veruska Seibel Boechat, lembrou os últimos momentos na companhia do marido. 

“Ele saiu bem, estava feliz. A gente passou um fim de semana com todos os seis filhos dele, o que é uma coisa rara, são muitos. Os quatro adultos moram no Rio, as nossas filhas moram aqui”, disse.

Ricardo Boechat tinha 66 anos e deixou cinco filhas e um filho. Atualmente, era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM e tinha uma coluna semanal na revista ISTOÉ. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top