Assine o fluminense

MPRJ e Polícia Civil realizaram busca e apreensão em Iguaba



Alvos eram denunciados por organização criminosa, corrupção e fraude

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atribuição Originária Criminal da Procuradoria-Geral de Justiça (GAOCRIM/MPRJ), a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ), e a Polícia Civil, por meio do Grupo de Trabalho da Delegacia Fazendária, cumpriram, nesta terça-feira (19), nove mandados de busca e apreensão em endereços da prefeita afastada de Iguaba Grande, Ana Grasiella Moreira Figueiredo Magalhães, e outros cinco denunciados por crime de corrupção e fraude em licitação. A ação é mais um desdobramento da Operação Apagão.

Além da prefeita afastada, foram denunciados o ex-secretário de governo Mauro Siqueira Gomes; o ex-secretário de obras Luis Jeronymo de Mesquita; a presidente da comissão de licitação, Valéria Santana Herdy; e outras duas pessoas envolvidas nas fraudes (denunciadas). O total de nove endereços se justifica em razão de alguns dos denunciados, como a prefeita, terem mais de um endereço para busca. Ana Grasiella foi afastada do cargo por decisão do Tribunal de Justiça, e era mantida no ofício em função de liminar obtida junto ao STF.

Na denúncia apresentada, o MPRJ sustenta que a prefeita e os demais denunciados aceitaram montar um esquema de pagamento de propina, arrecadando vantagens ilícitas por meio de pagamentos. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top