Assine o fluminense
Bruno Serpa Pinto

O presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Niterói fala sobre o mercado de imóveis na cidade

Boa hora para investir em imóveis



A perspectiva de mudança no cenário político está levando a uma melhora nas projeções para a economia. Parte das consultorias e institutos de pesquisa já começou a revisar os números de 2018 apostando num crescimento mais forte e, se as expectativas se confirmarem ao longo dos próximos meses, o Brasil poderá enfim superar anos seguidos de recessão.  

Apesar da economia brasileira tecnicamente ter saído da recessão, a turbulência política que se prolonga há anos ainda manteve a incerteza de empresários e consumidores. Investidores aguardaram para realizar investimentos e consumidores pensaram muito antes de comprar bens, principalmente aqueles que demandam bastante capital e crédito. 

No entanto, atualmente, os fundamentos econômicos indicam uma recuperação mais consistente, inclusive para o mercado imobiliário. Em diversos setores do mercado, os números e, principalmente, o sentimento de otimismo acompanhado dos investimentos e da volta do poder de compra, começam a apresentar resultados positivos.

Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário (Abecip), o mercado imobiliário residencial permaneceu estável no mês de maio em comparação com abril. O resultado contribuiu para a desaceleração no ritmo de queda da variação acumulada em 12 meses, que passou de -0,29% em abril para - 0,02% na apuração mais recente. A tendência de recuperação dos preços teve início no último trimestre de 2016, coincidindo com o final do período de maior queda da economia nos últimos anos. 

Especialistas apontam que este é um momento favorável para a compra de imóveis: as taxas de juros para os financiamentos foram reduzidas pelos bancos em reação à redução da taxa Selic, que serve de termômetro para o mercado. A fartura de crédito imobiliário nos bancos também é algo positivo para o consumidor. Com a crise, a Abecip estima que vão sobrar mais de R$ 100 bilhões em recursos para financiamentos imobiliários, o que facilita a tomada de crédito para quem está disposto a investir em um imóvel próprio. 

Também notamos o fim de um ciclo de produção de apartamentos e, como resultado, imóveis em estoque. A Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) constatou um aumento 8% nas vendas de unidades, enquanto os estoques foram reduzidos, auxiliados pelo menor número de lançamentos de novas unidades. Em Niterói, por exemplo, o estoque de imóveis em 2018 é 76% inferir à média dos últimos dez anos, o que reforça a urgência de quem quer adquirir um imóvel antes da retomada dos preços.

Além disso, é também o fim de grandes descontos concedidos a clientes pelas construtoras, ávidas para se livrarem de imóveis prontos que começavam a dar prejuízos. Ou seja, o melhor momento para barganhar está no fim. 

Para quem vislumbra garantir a casa própria em breve, o momento de agir é agora. Procure as imobiliárias da cidade e aproveite os melhores imóveis, novos ou usados, com as maiores ofertas. Não perca essa chance e busque as associadas da ADEMI-Niterói.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top