Assine o fluminense

Ônibus e barcas com reajuste na tarifa

Linhas intermunicipais sofrem aumento e redução no valor da passagem. Já o transporte aquaviário fica mais caro

 

Evelen Gouvêa

No primeiro dia de vigência do reajuste das tarifas de vans e ônibus que fazem linhas intermunicipais em todo o estado, surpresa nos pontos. Passageiros de Niterói, São Gonçalo, Maricá e Itaboraí tiveram redução no valor de passagem de algumas linhas que trafegam nos municípios, mas em outras houve aumento de pelo menos R$ 2. A Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) alerta que pensa em recorrer.

A medida foi publicada no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro de sexta-feira (8) a partir de um cálculo do Departamento de Transportes Rodoviários (Detro). Das 1.187 linhas intermunicipais, 924 tiveram o valor da passagem reduzido, uma queda de cerca de 3,19% nas tarifas dos ônibus que operam dentro da Região Metropolitana e em torno de 1,08% nas linhas convencionais do interior.  

“Levei um susto quando o cobrador me falou R$ 4,05 e não R$ 4,25. Quando vi sobre o reajuste, já pensei que começaria a pagar R$ 4,50, pois a gente só vê aumento de preço. É tão surpreendente que já estou esperando revogarem a decisão”, apontou a aposentada Isabel Ferreira, de 62 anos.

Enquanto alguns passageiros comemoravam, outros se assustaram com o aumento na passagem. Morador de Icaraí, o analista de suporte Vinicius Amaral, de 35 anos, precisou desembolsar R$ 4 a mais para ir e voltar do trabalho com a passagem subindo de R$ 10 para R$ 12.

Segundo a aposentada Isabel Ferreira, a redução de R$ 0,20 foi uma grata surpresa, mas ela teme pela revogação da medida iniciada ontem nas linhas intermunicipais

Evelen Gouvêa

“É abusivo, pois nada aumentou 20% no último ano como essa passagem, o salário não acompanha. Se for somar os R$ 4 no fim do mês, será um rombo no orçamento. Se muitos estão comemorando a redução de R$ 0,20, imagina como ficamos com esse aumento… muitos já falam em trocar a rota”, contou o passageiro da linda 1905D, Castelo-Charitas.

De acordo com o Detro, a redução nos valores de passagem foi obtida após o abatimento do repasse financeiro concedido em 2017 pelo Estado referente às gratuidades, no valor de R$ 35,7 milhões, e a devolução de R$ 0,28, valor corrigido dos R$ 0,27 cobrados dos usuários das linhas intermunicipais ao longo de 2017.

O cálculo é feito a partir da aplicação da planilha tarifária modelo do Grupo Executivo de Integração da Política de Transportes (Geipot) - planilha-base do Ministério dos Transportes, atualizada conforme estudos técnicos, que medem o valor dos insumos e os indicadores operacionais, como: tipo de veículo (urbano ou rodoviário); região por onde circula (Metropolitana ou Interior); quilometragem; média de passageiros transportados, etc.  

Assim, com os valores anteriores ao cálculo, as linhas sofreram redução ou reajuste. No caso da Região Metropolitana, todas as linhas urbanas convencionais (ônibus de duas portas e roleta) sofreram redução. Já alguns ônibus rodoviários sofreram aumento.

Anunciando que iria estudar recorrer da decisão, a Fetranspor disse que ainda aguarda ter acesso à cópia do processo para analisar e conferir os cálculos realizados pelo Estado. A Fetranspor disse que defende a menor tarifa para o passageiro, desde que o Estado considere um valor equilibrado que atenda aos custos do setor, mas não divulgou o ideal. O Detro não respondeu sobre o manifesto da Fetranspor.

Barcas - A partir desta terça, as passagens das barcas estão mais caras. O novo valor da tarifa das linhas sociais passou para R$ 6,30, a tarifa da linha seletiva foi reajustada para R$ 17,60 e a tarifa turística das linhas que operam na Divisão Sul agora custam R$ 16,70.

O reajuste foi autorizado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado (Agetransp), durante sessão regulatória. No ajuste das linhas sociais das barcas, foi aplicado o índice de 3,33%, referente à variação do IPCA (índice de inflação calculado pelo IBGE) entre fevereiro de 2018 e fevereiro de 2019 (projetado), como previsto em contrato.

​ A Agetransp também analisou o pleito de reajuste relativo ao ano de 2019 para a linha seletiva Charitas. A agência reguladora aplicou reajuste de 4,05%, referente à variação do IPCA entre novembro de 2017 e novembro de 2018, como previsto em contrato. A concessionária fica autorizada a passar a tarifa dos atuais R$ 16,90 para 17,60, a partir de 12 de fevereiro.

(Colaborou Isabelle Villas Boas)

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Cleir Victorino Pacheco
É UM ABSURDO E UM ABUSO DE PODER ECONÔMICO NAS PASSAGENS DE ÔNIBUS, OS EMPRESÁRIOS FAZEM O QUE QUEREM COM A POPULAÇÃO.
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

Veja também

Scroll To Top