NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Cão resgatado em São Francisco busca um lar

Cão resgatado em São Francisco busca um lar

Foto: Divulgação

Resgatado no Canal de São Francisco na manhã desta quarta-feira (2), o cachorro que foi atropelado na Avenida Presidente Roosevelt, foi medicado e passa bem segundo veterinários que atuam no Centro de Controle Populacional de Animais Domésticos (CCPAD) do Fonseca. O animal foi encaminhado para um lar temporário, mas precisa de um adotante.

Apesar de não fazer parte da atribuição do CCPAD, veterinários do local atenderam a um pedido do Corpo de Bombeiros que realizou o salvamento do bichinho. O cachorro, macho de aproximadamente 2 anos, foi medicado, alimentado e ainda deve passar por exames de raio-x, mas passa bem.

“O cachorro também será vacinado e castrado pela prefeitura e ficará em um lar temporário, mas está para adoção. Ele é muito meigo, bem carinhoso, novinho ainda”, disse o coordenador do espaço, Marcelo Pereira. Quem quiser adotá-lo pode entrar em contato com o Centro no número 3607-8569, de 9h às 17h.

O cachorro foi resgatado por equipes do Corpo de Bombeiros de dentro do Canal de São Francisco, na Avenida Presidente Roosevelt, próximo a Praça Emílio Abunaman, em São Francisco, na Zona Sul de Niterói. Segundo funcionários de um estabelecimento próximo ao local, o animal havia sido atropelado na noite anterior.

Quem achou o cachorro foi o economista Leonardo Peçanha, de 43 anos, e o filho Eduardo de 11. Ambos moradores da região, passavam pelo canal como de costume e perceberam o animal encolhido em um canto. Ao verem que o bichinho se mexia, mas com dificuldades, ligaram para o socorro.

“Ele está muito debilitado, quase não se mexe, parece muito fraco, que bom que o socorro chegou rápido”, opinou o economista.

No momento do resgate, apesar de vivo, o animal não apresentou reação aos socorristas. Informações de funcionários que trabalham próximo ao local, o cachorro foi atropelado por uma moto na noite da última terça-feira (1°). Motoristas que trafegavam pela via no momento do acidente posicionaram o cachorro na calçada próximo a uma árvore. Os funcionários contaram que pensaram que o cachorro não havia sobrevivido ao atropelamento, por isso não ligaram para o Corpo de Bombeiros.

Ao chegarem para trabalhar na manhã de ontem, no entanto, não viram mais o cachorro até a família o encontrar no canal. Ainda não há informações sobre o novo destino do pet.

Scroll To Top