Assine o fluminense

Castração: sem previsão de retorno das cirurgias

Atendimento foi suspenso há pelo menos três meses por falta de anestésico

 

Agendamento também foi paralisado. Fundação Municipal de Saúde informou que trabalha para normalizar a situação

Foto: Evelen Gouvea

Cerca de 300 pessoas aguardam na fila de espera, desde o início do ano, para conseguir realizar a castração de animais no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Icaraí. O atendimento foi suspenso há pelo menos três meses por falta de anestésico. Até mesmo o agendamento foi paralisado devido ao grande número de pessoas já aguardando pela retomada das cirurgias.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS), responsável pelo Centro de Controle de Zoonoses, informou que trabalha para que a situação seja normalizada o mais rápido possível, mas ainda não há previsão para a retomada do serviço. A expectativa é de que a situação melhore a partir de setembro, quando a prefeitura irá inaugurar o Centro de Controle Populacional de Animais Domésticos, no Horto do Fonseca, que também realizará castração de animais.

A Prefeitura de Niterói garante que está providenciando insumos suficientes para realizar mil procedimentos no Centro de Controle de Icaraí, através de licitação. O processo segue em fase de cotação, para pesquisar as empresas que oferecem um melhor preço dos anestésicos e que se enquadrem no orçamento municipal.

Quem já se inscreveu e deixou seus dados para a fila de espera será chamado pela Saúde, que avisará sobre o retorno dos serviços. A convocação acontecerá de acordo com a ordem de inscrição. Já quem não conseguiu castrar seu animal e nem entrar na fila terá que esperar também pela normalização do serviço e, após isso, agendar o procedimento. Para informações, o responsável pelo animal deve entrar em contato com o Centro de Castração através do telefone 2711-0113.

O Serviço de Controle de População Animal estava fechado desde 2009 e foi reativado em 2013 pela prefeitura. Segundo o Executivo, desde a reabertura, houve um aumento gradativo na demanda de castrações, o que gerou a necessidade de adquirir mais insumos e a crise atual.

Mais recursos – Diferente do antigo centro, o novo, que está sendo construído no Horto do Fonseca, é de responsabilidade da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade (SMARHS), que estava à frente do projeto na época. Por conta disso, toda a gestão de recursos deste local fará parte do plano de trabalho e do orçamento da pasta, e não da Fundação Municipal de Saúde, mesmo se tratando de anestésicos.

A prefeitura informou que os dois centros irão atuar em conjunto para atender melhor as demandas pelo serviço de castração. Questionada sobre a garantia de que o Centro de

Controle Populacional de Animais Domésticos não passará pelo mesmo problema que o atual serviço enfrenta, o Executivo se ateve a dizer que a compra dos insumos está em andamento e que a inauguração do novo espaço ocorrerá somente em setembro. Além das castrações, o Centro de Controle Populacional de Animais Domésticos contará com consultórios para pequenos atendimentos gratuitos e um curso de banho e tosa, destinado aos jovens carentes.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top