Assine o fluminense

Celebração da cultura negra

Evento realizado em São Domingos reuniu cerca de duas mil pessoas na Praça Leoni Ramos

Evento teve direito a apresentação de samba e danças típicas

Foto: Marcelo Feitosa

As comemorações ao Dia da Consciência Negra não passaram despercebidas em Niterói, pelo contrário, a data foi celebrada com direito à tradicional 9ª edição do Viva Zumbi, na Praça Leoni Ramos (Cantareira), em São Domingos. Apesar dos poucos momentos de chuva, cerca de duas mil pessoas passaram pela praça para apreciar artesanatos, rodas de capoeira, comidas típicas e muita música, tudo voltado para as manifestações da cultura negra.

A secretária municipal de Assistência Social e Direitos Humanos Verônica Lima celebrou a data e disse que não medirá esforços para que os movimentos da cultura negra sejam sempre valorizados em Niterói.

“O dia 20 de novembro é uma data marcante e representativa para o povo negro. Em tempos de preconceito, saudar a memória de Zumbi é um orgulho, ainda mais na cidade de Niterói. Merecemos respeito e a total liberdade de sermos quem quisermos. Lugar de negro é em qualquer lugar, é onde quisermos! Viva a cultura negra!”, celebrou. 

Quem também comemorou o dia da Consciência Negra foi a baiana Juçara da Palmeira. A vendedora de acarajé, que se dividiu entre a preparação e fritura dos quitutes, se emocionou ao ver tantas manifestações da cultura africana.

Vestidos a caráter, integrantes de movimentos negros se revezaram na preparação de mais de 10 mil pratos de feijoada na Cantareira

Foto: Marcelo Feitosa

“Eu sou negra e meu nome (Juçara) escrito já mostra que sou brasileira. Ver essas manifestações desses dois países me dá uma alegria tremenda. Poder preparar o acarajé, comida tipicamente da Bahia, e ver rodas de capoeira, pinturas e tantas atividades em um dia tão importante, é de ficar extremamente emocionada. Que tenhamos mais consciência de respeito e amor ao próximo. Somos todos iguais”, ponderou Juçara.

A fila que praticamente contornou a Praça Leoni Ramos mostrou que os organizadores da festa não estavam de brincadeira. Isso porque mais de 10 mil pratos de feijoada foram preparadas por um batalhão de pessoas, e o melhor, tudo distribuído gratuitamente.

“A feijoada tá uma delícia. Veio com direito a tudo, inclusive àquela laranjinha para deixar mais saborosa”, brincou a médica veterinária Úrsula Campos.

O evento ainda destacou as experiências de relações e interações etnoculturais estimulando a construção da autoestima das pessoas negras através da beleza e riqueza artística e o (re)conhecimento da cultura negra e africana no Brasil. 

Ao longo do evento estiveram dispostas fotos e histórias de várias personalidades negras que fizeram a diferença na história do país.

O Viva Zumbi foi realizado pela ONG Cidadania em Movimento, com apoio da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Movimento Negro Unificado, ONG Sete Cores e outras instituições.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top