Assine o fluminense

Colégio de São Gonçalo forma empreendedores

Escola de tecnologia de alimentos prepara estudantes para o mercado de trabalho

Alunos aprendem técnicas de trabalho com laticínios e panificação

Cris Torres/Divulgação Palácio Guanabara

O Colégio Estadual Comendador Valentim dos Santos Diniz, em São Gonçalo, primeira escola de tecnologia de alimentos do Estado, vem transformando a vida de muitos jovens, a partir dos cursos de Leite e Derivados e de Panificação. As irmãs Maíra e Maiara Labres, logo após a conclusão do Ensino Médio, em 2014, abriram o próprio negócio. Com apenas 20 anos, adquiriram experiência nas duas áreas técnicas oferecidas pela escola. Enquanto Maíra seguiu o curso de Leite e Derivados, Maiara estudou Panificação. Desde 2014, as jovens empreendedoras faturam com a produção e comercialização de bolos e doces, em São Gonçalo. O negócio cresceu tanto que as irmãs Labres tiveram que sair da informalidade e providenciar o registro da empresa.

“O que nos impulsionou foi perceber que a gente tinha o conhecimento técnico da escola, um mercado favorável e principalmente a nossa vontade de empreender. Foi aí que resolvemos abrir o nosso negócio. A escola também me proporcionou um estágio na França. Essa experiência foi fundamental para oferecer um serviço diferenciado aqui na minha cidade”, disse Maiara.

Dois dias após a formatura no curso Leite e Derivados, Jean Luca Valeriote, de 19, recebeu a notícia da sua contratação por uma empresa, na cidade de Macuco. Jean trabalha nos laboratórios de Físico-química e Microbiologia analisando todo o leite cru que chega à fábrica, bem como os produtos que vão para o mercado, como leite em pó de cabra e vaca e soro em pó.

“A escola me ajudou a descobrir a área de Laticínios e me mostrou um mercado que eu não conhecia e que valoriza os seus profissionais. O meu objetivo é continuar me dedicando ao trabalho e, em 2017, cursar faculdade de Administração, Engenharia de Produção ou Nutrição, áreas que vão agregar conhecimento ao meu trabalho”, afirmou Jean.

Antes mesmo de concluir o curso de Leite e Derivados, o estudante Francisco Paulo Thomé, de 17, já recebeu convite para trabalhar em uma empresa, de Niterói, especializada na produção de sorvetes.

“Foi a minha escola que abriu as portas do mercado. Agora, vou aproveitar a oportunidade, dar o meu melhor, continuar estudando e buscar o crescimento profissional”, ressaltou Paulo.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top