Assine o fluminense

Corrida pela imunização contra o sarampo em Niterói

Na tentativa de aumentar o bloqueio contra a doença, mais 50 mil doses foram enviadas ao Rio de Janeiro

Na Policlínica Regional Dr. Sérgio Arouca apresentou maior procura depois dos casos confirmados no Rio de Janeiro

Foto: Evelen Gouvêa

Mais 50 mil doses da vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo, coqueluche e rubéola, foram enviadas pelo Ministério da Saúde ao Estado do Rio de Janeiro na tentativa de aumentar o bloqueio contra a doença. Até o momento, são dois casos confirmados e 18 suspeitos de sarampo. Apesar de não haver casos suspeitos na região metropolitana, nos municípios de Niterói e São Gonçalo, a procura pela imunização da doença começou a crescer e nesta terça-feira (10), os cidadãos formaram filas nos postos de saúde. Entre os dias 6 e 31 de agosto, acontece a campanha nacional de vacinação. 

Por ser uma doença infecciosa aguda, viral e altamente transmissível por meio de secreções ao tossir, espirrar, falar ou respirar, niteroienses e gonçalenses então com medo de também ficarem doentes, mesmo com a confirmação apenas no Rio. A servidora pública Cintia Short, de 45 anos, procurou a Policlínica Regional Dr. Carlos Antônio da Silva, em São Lourenço, para tomar a vacina e contou que todos os seus colegas de trabalho estão apreensivos.

“Não tenho certeza se tomei, preferi me garantir. Trabalho em uma sala, respirando junto com outros funcionários, é melhor estar preparada”, acredita.

A transmissão da doença acontece de quatro a seis dias antes e até quatro dias após o aparecimento das erupções cutâneas. Outros sintomas do sarampo incluem febre alta acima de 38,5°C, tosse, coriza, conjuntivite e manchas brancas na mucosa bucal. Por trabalharem diariamente com o público, a bancária Simone Menezes, 43, e o marido correram para a Policlínica Regional Dr. Sérgio Arouca, em Santa Rosa, assim que os casos foram confirmados. 

“Eu já tive sarampo quando criança, mas meu marido nunca teve e nem se vacinou. Está perigoso, é sempre melhor prevenir. Também trouxemos nossas duas filhas para confirmarmos a necessidade de nova vacinação”, afirma. 

Na Policlínica Regional da Engenhoca, na Zona Norte, a procura pela imunização foi tímida, mas atraiu cidadãos entre a manhã e o início da tarde desta terça-feira. Por volta das 14h, cerca de 15 pessoas já haviam passado pelo local para garantir uma dose da vacina. 

De acordo com a Prefeitura de Niterói, o município não apresenta casos de sarampo há mais de 20 anos e está acima da margem de 50% de cobertura vacinal contra a doença. Embora a procura pela imunização não tenha registrado aumentos expressivos, o município reforça que intensificou o trabalho de orientação domiciliar, através do Programa Médico de Família (PMF). Além disso, a vacinação contra a doença é oferecida durante todo ano e está disponível em todas as salas de vacina. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top