NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Corrimão já atrai mais visitantes ao Costão

Instalados em janeiro no Costão de Itacoatiara, cabos de aço têm auxiliado as pessoas na subida e descida. Frequentadores do espaço aprovaram a iniciativa

Foto: Marcelo Feitosa

Um dia de céu claro em Niterói é um convite para apreciar a natureza. Um dos pontos mais visitados do Parque Estadual da Serra da Tiririca (Peset), a trilha do Costão de Itacoatiara, na Região Oceânica, tem recebido ainda mais visitas depois que um facilitador foi instalado no local em janeiro: cabos de aço que auxiliam na subida e descida da pedra. 

A novidade tem agradado, principalmente, o público de mais idade e crianças. Os visitantes do parque ressaltam que os cabos dão mais segurança na escalada, atraindo pessoas que antes não faziam trilhas pela cidade. Dessa forma, o turismo ambiental de Niterói também acaba fortalecido. 

Os cabos de aço são fincados na pedra e apoiados por estacas de ferro. De acordo com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), como o equipamento é novo, não há a necessidade de uma manutenção. No entanto, a administração do Peset monitora e ajusta a estrutura constantemente, de acordo com o uso.

Uma lona de pneu foi colocada para diminuir o atrito entre o cabo e as estacas, que foram pintadas com tintura naval para evitar a deterioração com os efeitos do tempo e da maresia. A instalação foi feita em parceria com a Federação de Esportes de Montanha do Estado do Rio de Janeiro (Femerj) e o Clube de Montanhismo de Niterói, além de contar com diversos voluntários, no início desse ano. 

De acordo com guarda-parques, de uns anos para cá as visitas ao Costão aumentaram de forma significativa. Notoriamente, segundo eles, a procura depois da instalação do facilitador também aumentou. 

“Nos finais de semana ou feriados estamos recebendo até 800 pessoas. Nosso limite é de 200 pessoas e, quando atingimos esse número, fazemos o controle de quem sobe e desce para evitar uma aglomeração. Ficamos aqui sempre auxiliando e indicando que a subida é pelo lado direito e a descida é pelo esquerdo, para que todos façam a trilha de forma segura”, disse um guarda-parque. 

Na entrada da trilha, na semana passada, mais de 50 pessoas aguardavam na fila para realizar a prática esportiva. Segundo os usuários, essa cena se repete em todos os finais de semana, recebendo público de Niterói e de cidades vizinhas, como São Gonçalo e Rio de Janeiro. 

Depois da instalação do cabo, a niteroiense Auar, de 42 anos, finalmente resolveu conhecer a famosa trilha do Costão. Como companhia, ela levou sua filha, Júlia Auar, de 8 anos, para apreciar a paisagem do alto. 

“É bom um passeio em família. Trouxe a minha filha para poder curtir a natureza, poder mostrar as praias daqui e um pouco da geografia de Niterói, que é maravilhosa. Nunca tinha vindo antes e só tomei coragem quando soube que instalaram esse cabo. Então, viemos no mês passado, gostamos muito e decidimos voltar agora. Ela (Júlia) curtiu bastante”, elogiou Daniela. 

A estudante Thaísa Melo, de 22 anos, também foi uma das que aprovaram a instalação do facilitador. Segundo ela, esta foi a segunda vez que ela subiu o Morro do Costão e, com os cabos, ficou muito mais seguro. 

“Fiz essa trilha antes, mas sem o cabo. Agora ficou bem melhor, com um apoio para a gente subir e descer. Está aprovadíssimo! Por mim, poderiam colocar esse equipamento em toda a trilha”, brincou Thaísa. 

A mesma opinião é compartilhada pela estudante Thássia Kmilla, de 28 anos. De acordo com ela, a novidade agradou ao grupo que a acompanhava. 
“Gostamos muito dessa novidade. Me senti mais segura tendo onde apoiar para escalar essa parte da trilha. Foi uma ótima iniciativa, principalmente porque passa a atrair pessoas de mais idade que antes tinham dificuldade”, apontou Thássia. 

Para o contador Igor de Araújo, de 32 anos, o facilitador ainda ajuda a preservar a vegetação local, que antes era degradada pela passagem de quem praticava a trilha. Esse, aliás, era um dos objetivos do Inea ao fazer a implantação dessa estrutura. 

“Fiz essa trilha pela primeira vez e aprovei. O cabo realmente facilita muito a trilha, fica menos escorregadio. A vegetação também fica mais preservada com isso”, ressaltou Igor. 


Scroll To Top