Assine o fluminense

Expectativa positiva para o dia 12

Comércio se prepara para receber, a partir de hoje, clientes à procura dos brinquedos dos pequenos

Segundo a CDL, Niterói deve ter uma alta de 3,5% nas vendas se comparado ao mesmo período de 2016

Foto: Evelen Gouvêa

Comerciantes de Niterói aguardam um crescimento nas vendas durante o período próximo ao Dia das Crianças, que será comemorado na próxima quinta-feira (12). A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói prevê uma alta de 3,5%, se comparado ao mesmo período no ano passado. Entre os motivos, estão o fato de ser uma tradicional data entre as famílias.

Ainda de acordo com a entidade, os clientes devem gastar em média R$ 30 nas compras em estabelecimentos da cidade. 

Os comerciantes estão animados com a proximidade da ocasião. “Trata-se de uma data com apelo extraordinário, sendo a última antes das festas de final de ano”, comenta Charbel Tauil, presidente do Sindicato dos Lojistas de Niterói.

“É um momento e tanto para melhorar o faturamento, e o consumidor que tiver um pouco de paciência e pesquisar bem os preços poderá encontrar ótimas promoções”, alerta.

A gerente da unidade da Brink Center em Icaraí, na Zona Sul da cidade, Gisele Mattos, relata que as pessoas ainda não estão realizando suas compras em alto volume, mas a partir deste final de semana, ela espera que o ritmo de compra aumente consideravelmente. Uma das formas de atrair os clientes é a partir do desconto, dado de acordo com o produto, mas sempre que possível, dentro de uma margem de 5%.

“Em geral, nossos clientes gastam R$ 200 durante as comemorações de Dia das Crianças. O apelo emocional, por parte da criança, acaba fazendo com que o pai leve o presente. Além disso, investimos em variedade de produtos, não apenas nos clássicos”, relatou Mattos.

Além dos descontos, uma das iniciativas específicas tomadas para realizar o preparo do comércio foi a contratação de mais duas funcionárias. 

“A partir da próxima semana, a loja já não terá hora para fechar. Todos os funcionários foram avisados que, se for necessário, deverão fazer hora extra pelo menos até o sábado que vem. Até quando acharmos que clientes estejam dentro da loja, isso acontecerá”, comentou a gerente.

O engenheiro eletricista Sérgio Fernandes, de 55 anos, morador de Icaraí e pai de Luan, de 10 anos, e Rafaela, de 7, foi até a loja na Presidente Backer e comentou que não estava pesquisando preço de maneira tão incisiva, mas chegou até o estabelecimento após ver que em outros locais só encontraria um valor muito menos chamativo.

“Percebo que a diferença entre os preços pela cidade é considerável. Como tenho dois filhos pequenos, quero agradá-los, mas também procurar pagar à vista, sem ter dívidas futuramente”, destacou Fernandes.

Centro - Já o gerente Juranildo Cândido, de 42 anos, trabalha na unidade da Tids localizada na Avenida Visconde do Rio Branco, no Centro da cidade. Com um caráter mais popular, Cândido relata que a ideia é sempre que os gerentes da loja pesquisem os preços da concorrência e vendam os produtos em um valor mais barato para os clientes. A contratação, no entanto, foi bem maior: cerca de dez pessoas foram admitidas somente para auxiliar no atendimento da loja.

“O fato de ser uma data com muito valor emocional pelas famílias nos anima em relação à presença das pessoas na loja, mas esperamos que a partir deste sábado (7) o volume de clientes cresça consideravelmente. Além disso, muitas pessoas pretendem realizar doações para creches e orfanatos – o que também pode ser um impulsionador das nossas vendas”, destacou Cândido.

Por isso, uma das estratégias para a loja é a liquidação. Segundo o gerente, bonecas mais simples, que custam cerca de R$ 10, chamam mais a atenção do público.

A professora Fernanda Santos, moradora do Fonseca, na Zona Norte da cidade, foi até o Centro porque já esperava preços mais em conta naquela região. O que mais chama atenção, no entanto, é a variação entre os preços.
“Darei presentes a sobrinhos e filhos de amigos. Pretendo gastar cerca de R$ 30 em cada presente”, pontuou Santos.

Estado – Segundo uma pesquisa realizada pela FVG Projetos a pedido da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ), a expectativa é de crescimento de 7% no faturamento, se comparado ao mesmo período do ano anterior. Os consumidores gastarão, em média, R$ 118,69 por consumidor.

Além disso, 5,6 milhões de fluminenses que irão às compras no período ajudarão a injetar cerca de R$ 934 milhões no comércio do Estado. Dezoito mil estabelecimentos fluminenses pretendem realizar contratações temporárias, segundo a entidade. 69 mil estabelecimentos fluminenses pretendem realizar alguma promoção visando a data.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top