Assine o fluminense

Fiéis celebram Dia de São Jorge

Igrejas de Niterói e São Gonçalo realizam diversas homenagens durante o dia

A Capela de São Jorge do 12° BPM organiza também o 13° Encontro dos Filhos de Jorge

Foto: Colaboração Vitor D'ávila

Milhares de fiéis se reuniram para celebrar os festejos do Dia de São Jorge, comemorado nesta terça-feira (23). Igrejas de Niterói e São Gonçalo prepararam uma programação especial para marcar as homenagens ao venerado Santo Guerreiro.

No 12° Batalhão de Polícia Militar (Niterói) aconteceu a tradicional missa no 13º Encontro dos Filhos de Jorge, às 9h, na capela da unidade. Em seguida, às 10h, uma procissão percorreu o quarteirão do batalhão, como forma de devoção ao santo guerreiro. Por conta do cortejo houve interdição parcial da Avenida Jansen de Melo e das ruas Heitor Carrilho, Manoel Pacheco de Carvalho e Presidente Castelo Branco. Agentes de trânsito da prefeitura ajudaram a orientar o trânsito. A estimativa de público é 1.500 pessoas.

A Capela de São Jorge do 12° BPM organiza também o 13° Encontro dos Filhos de Jorge. A estimativa de público é 1.500 pessoas.

Entre as autoridades, estão presentes na celebração o Comandante do Batalhão de Niterói, Sylvio Guerra, e o ex-Comandante Geral da PMERJ, Wilton Soares Ribeiro, que vai à capela desde a primeira missa, há 13 anos. A banda da Polícia Militar e a cavalaria também marcam presença na celebração. 

"É uma tradição do batalhão, um evento muito marcante. É importante não deixar cair no esquecimento, divulgar para que tenha cada vez mais pessoas todo ano e que nunca esse momento nunca acabe. Poder ver os devotos aqui presentes nos deixa muito satisfeitos e felizes. A fé move montanhas. Conseguimos resumir tudo nessa frase. É com ela que tudo se consegue, sem ela não existe nada", declarou Sylvio Guerra.

O padre Alberto Gonzaga de Almeida, celebrante da tradicional missa, conta que também está presente nas homenagens ao Santo Guerreiro desde quando a capela foi inaugurada no batalhão.

"Estou aqui desde o primeiro encontro. Infelizmente ano passado fiz uma cirurgia e não pude estar, mas estive presente na inauguração da capela e nas demais celebrações. É um evento da fé muito importante. Para o batalhão serve como  um trabalho de proximidade. É uma celebração para os policiais, para a comunidade e pessoas que moram no entorno do batalhão", disse o padre Alberto Gonzaga de Almeida. 

Fiéis também aproveitaram a celebração para agradecer ao santo pelas bênçãos recebidas ao longo da vida. O policial militar reformado e escritor Emir Larangeira relembrou do dia em que ajudou um grupo de senhoras voluntárias da Igreja de São Jorge do Centro de Niterói. Este foi o gatilho para que ele se tornasse mais um devoto fiel.

"Eu socorri um ônibus acidentado cheio de senhoras quando fazia a segurança da festa de Nossa Senhora de Nazaré, em Saquarema nos anos 70. Levamos ambulância com médicos e atendemos e resgatamos as senhoras. Aí eu quis saber o que elas estavam fazendo lá, quando elas me contaram que eram da Igreja de São Jorge do Centro de Niterói e iriam trabalhar como voluntárias na festa. Não sei se essa tradição se mantém até hoje, mas elas faziam isso todo ano. Fiquei pensando: seria esse um milagre de Nossa Senhora de Nazaré ou de São Jorge? Tenho fé que eles nos fizeram saber que as devotas deles estavam precisando de ajuda", contou.

Também em Niterói, na Igreja de São Jorge, que fica na Rua Alcides Figueiredo, 16, no Centro, os festejos começaram logo cedo com a tradicional alvorada de fogos, às 6h. A missa campal, ministrada pelo padre João Claudio, ocorreu logo em seguida, às 6h30. Às 8h, o padre Juvaldes celebrou outra missa.

E dando sequência às comemorações na igreja de Niterói, às 10h aconteceu mais uma celebração, desta vez tendo à frente Dom Luiz. Às 12h, o celebrante foi o padre André; e às 14h, padre Ronnie. Às 15h30 será rezado o “Terço da Misericórdia”, e às 16h30, mais uma missa campal, desta vez com Dom Alano.

Às 17h30, aconteceu a tradicuinal procissão para o Santo Guerreiro, que percorreu as ruas Marechal Deodoro, Barão do Amazonas, São João, Luiz Leopoldo Fernandes Pinheiro, Conceição, Visconde de Sepetiba, retornando à igreja pela Marechal Deodoro.

Segundo a coordenadora de pastorais da Igreja, Monica Guimarães, em 2018 a festa recebeu cerca de 30 mil pessoas e, a expectativa para 2019 é manter o número, visto que a rua estava repleta de fiéis desde as primeiras horas da manhã. Monica é voluntária há 40 anos e faz questão de ressaltar o prazer que sente em ajudar a realizar a festa, que tem mais de 100 anos de tradição.

“Isso aqui é minha vida, tudo pra mim. Não é só no dia 23 de abril que vivo São Jorge, é todos os dias. Sou coordenadora de pastorais da igreja e trabalho de forma voluntária, assim como todos aqui”, disse.

A devoção costuma iniciar das mais diferentes formas, seja através de promessas, bênçãos recebidas ou mesmo ao passar a frequentar a igreja. O caso do vendedor Cláudio Fernandes é diferente: ele é vendedor de camisas católicas na feira popular de Alcântara, em São Gonçalo, e é devoto de São Jorge há 15 anos.

“Eu vendo camisas católicas na feira do Alcântara. E vendo muita camisa de São Jorge, nisso comecei a ser devoto, pois através da renda gerada com o comércio consigo me sustentar. É o oposto do caminho normal. Sempre fui católico e há quinze anos sou devoto de São Jorge e desde então estou firme e forme aqui na festa, todos os anos, e de segunda a sexta em Alcântara”, relatou.

Celebração na Capela de São Jorge, no bairro Lindo Parque, em São Gonçalo

Foto: Divulgação

São Gonçalo - Na programação da Capela de São Jorge, na Rua Expedicionário Antônio Eugênio Vieira, no Colubandê, a festa do padroeiro também começou às 6h, com alvorada. Às 7h30 ocorreu uma missa campal, e às 10h, outra celebração será realizada. 

Às 12h haverá almoço comemorativo, às 12h30 um momento de oração, e às 15h30, outra  missa campal de devotos mirins.
 
Uma benção sacerdotal com procissão pelas ruas do bairro será realizada às 17h. Às 18h30, mais uma missa campal, às 20h louvor, acompanhado de banda, e às 22h tem o encerramento com queima de fogos.

A Capela São Jorge, no bairro do Lindo Parque, também realiza alvorada, que conta com queima de fogos, missas às 7h e 10h, e procissão às 17h30.

Dia dos Escoteiros – No dia de São Jorge, 23 de abril, também é comemorado o Dia dos Escoteiros, aqui no Brasil. Engana-se quem pensa que isto é uma coincidência: o santo é o padroeiro dos escoteiros brasileiros.

No 12º BPM (Niterói), além da capela do Santo Guerreiro, também atua, há 45 anos, o Grupo de Escoteiros Prof. Lourival Gomes de Andrade. O nome é uma homenagem a este professor que atuou, nos anos 70, dentro do batalhão, no trabalho de alfabetização de milhares de pessoas.

O escotismo é um movimento mundial, com cerca de 14 milhões de escoteiros em todo o planeta. Sua miss]ao é levar valores, civismo, espiritualidade e atender a todas as crenças. O trabalho é feito através de progressões e especialidades, que são as conquistas individuais de cada jovem.

Na cidade de Niterói, existem 10 grupos escoteiros. No grupo Prof. Lourival Gomes de Andrade participam 50 pessoas entre jovens e adultos. A faixa etária varia entre 7 a 80 anos, ou seja, fazem parte escoteiros de todas as idades.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top