Assine o fluminense

GM faz curso de ações táticas

Primeira turma teve início este mês na Secretaria de Ordem Pública, no Barreto, Zona Norte de Niterói

Um grupo de 30 guardas está realizando as atividades de qualificação para aprimorar a atuação durante as abordagens e as mediações de conflitos

Foto: Divulgação

Para aprimorar o tipo de abordagem, ampliar o conhecimento, identificação e mediação de conflitos, um grupo de 30 guardas-municipais de Niterói participa, até o mês de dezembro, do 1° Curso de Especialização em Ações Táticas, realizado pela Secretaria de Ordem Pública de Niterói (Seop), que está sendo aplicado por especialistas em operações especiais.

Durante os trinta dias de curso, eles trabalharão tanto a parte física como psicológica. Os treinamentos, que incluem, entre outras coisas, resistência na mata, rapel, utilização de equipamentos tecnológicos e técnicas diversificadas que podem ser utilizadas no dia a dia da Guarda, estão sendo realizados em diversos pontos de Niterói e Rio de Janeiro. 
 
O curso faz parte do Programa de Qualificação Permanente da Guarda, que está sendo implantado pela Diretoria de Ensino e Pesquisa da Seop com orientação de especialistas com experiência em situações de crise, e a forma estratégica de atuação. O corpo docente tem também a participação de médicos, psicólogos, bombeiros militares, integrantes do Samu e do Grupamento Aeromóvel da Polícia Militar (GAM).

A especialização visa preparar guardas para atender ocorrências de alta complexidade, como atividades de risco em áreas urbanas, atuar nas missões e atividades desempenhadas pela Coordenadoria de Ações Táticas (CAT), apoiar todas as demais coordenadorias especializadas e regionais da Guarda Municipal de Niterói e também a outros órgãos municipais, como a Defesa Civil, e em casos de emergência.

Além disso, aprimoram a capacitação técnica, física e psicológica para cumprir missões de natureza não convencional, que exijam comportamento e habilidades específicas. São testadas a capacidade de resistência à fadiga muscular, também chamada de fadiga física, a fadiga mental ou psicológica e a fadiga sensorial. Ao longo do curso, será ministrado condicionamento para o cumprimento às ordens, demonstrando disciplina, espírito de equipe e controle emocional acima da média.

Segundo Francisco Lima Torres, diretor de Ensino e Pesquisas da Secretaria de Ordem Pública, especialista com pós-graduação em gestão de processos educativos, de inteligência e direitos humanos, toda a Guarda Civil Municipal de Niterói vem passando por processos gradativos de treinamento e aprimoramento técnico já sendo considerada como referência no Estado do Rio de Janeiro.

“Temos hoje profissionais em segurança pública municipal (guardas) altamente treinados em vários setores e vamos ampliar esses conhecimentos. No caso específico do curso de Ações Táticas não é um curso para enfrentamento contra o crime, que é um papel que cabe à Polícia Militar, e sim tático de aprimoramento para mediações, com foco na prevenção e na proximidade com a sociedade niteroiense. Um dos focos é trabalhar em grupo, pois a precisão do trabalho em equipe, e com equilíbrio e técnica, pode ser o diferencial para o sucesso de uma operação”, garante.

O diretor de Ensino da Seop explica que existem situações em que o guarda-municipal é o primeiro agente de segurança a chegar num local que exija uma intervenção tática e de inteligência. Por isso, garante o especialista, é fundamental neste momento a presença de um agente com conhecimentos em gestão de conflitos.

Leandro Nunes, comandante da Guarda Municipal de Niterói, destaca que os agentes estão se especializando cada vez mais.

“É muito importante que os guardas sejam treinados pelos melhores. Estão participando do curso tanto os guardas que são da nossa Coordenadoria de Ações táticas (CAT) como os que efetuam o patrulhamento normal de rua. Foram selecionados através de uma prova”, explica o comandante, acrescentando que, desta primeira turma, sairão os melhores que terão a graduação de instrutores para ajudar no treinamento de outros guardas. 

Prova de fogo – Sempre acompanhados por um graduado especializado em enfermagem da própria Guarda Municipal, os participantes já sentiram nos dois primeiros dias de treinamento que a tarefa nos próximos dias não será nada fácil. O curso começou com 36. No primeiro dia ocorreram duas desistências de guardas masculinos e duas femininas e segue com 32 homens e duas mulheres, dentre eles quatro guardas dos municípios do Rio de Janeiro, Itaboraí, Silva Jardim e Rio Bonito.

O número de horas diárias não é estipulado, e varia de acordo com as atividades. Nas primeiras horas, eles passaram por treinamento e corrida em mata, como atuar em situações de cárcere privado, entre outras. Como forma simbólica de que a chama da dedicação e persistência não deve morrer, os locais de treinamento mantêm duas fogueiras acesas durante todo o tempo

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top