Assine o fluminense

Inea aprova prévia de estudos ambientais para dragagem do Canal de São Lourenço, em Niterói

Os custos dos estudos, avaliado em cerca de R$ 772 mil, foi arcado pela Prefeitura de Niterói. A dragagem custará cerca de R$ 200 milhões

Por Lucas Schuenck

A Comissão Estadual de Controle Ambiental (CECA) do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) aprovou, por unanimidade, nesta terça (13), a apresentação prévia do Estudo e Relatório de Impacto Ambientais (Eia/Rima) da dragagem do Canal de São Lourenço, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. A iniciativa é considerada pelo setor naval como imprescindível para a retomada das atividades econômicas do segmento na região. Para ser aprovado definitivamente, no entanto, o Eia/Rima precisa ainda por uma audiência pública e retornar para uma segunda aprovação do CECA.

O estudo, que é obrigatório para intervenções deste tipo, foi pago pela Prefeitura de Niterói e custou cerca de R$ 772 mil. Em entrevista a O FLUMINENSE, publicada no último domingo, Giovanna Victer, secretária de Fazenda do município, afirmou que, após superadas as etapas de licenciamento obrigatórias, uma frente de investimentos mista entre setor privado, governo estadual e federal, além de emendas parlamentares da bancada de deputados federais do Rio e do município será composta para arrecadar R$ 200 milhões necessários para a intervenção no canal hidroviário.

“A prefeitura, mesmo em uma época de dificuldade financeira, contratou o Eia/Rima, porque esta questão do desenvolvimento da indústria naval vem dentro de um planejamento estratégico. […] Nós temos uma carteira de projetos para a segunda gestão, onde há essa estratégia de revitalização do setor naval. Estamos trabalhando, neste sentido, com a pesca, com a dragagem, com a mobilização dos investidores. Nada vem por acaso”, declarou a secretária na oportunidade.

Ainda na entrevista, Victer destacou que a dragagem do Canal de São Lourenço abrirá espaço para a construção de um entreposto de pesca. Segundo ela, o empreendimento colocará a cidade como a primeira no ranking do país em captura, exportação e distribuição em grande escala de pescado industrial e será feito através de Parceria Público-Privada (PPP).

Reaquecimento – Para atrair investidores e propiciar a geração de empregos, a prefeitura também aposta na iniciativa Niterói Negócios que, ao promover Câmaras Técnicas com partes interessadas de várias frentes de negócio, pretende tornar o ambiente niteroiense mais atrativo a novos empreendimentos.

No que diz respeito ao Setor de Óleo & Gás e Naval, no próximo dia 27 será promovido, no Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), no Centro do Rio, o segundo encontro da Niterói Negócios que terá foco na promoção das atividades do setor.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top