Assine o fluminense

Linha Verde impede crimes ambientais no Estado do Rio

Denúncias anônimas ao serviço levaram policiais a Paraty e Magé

O Linha Verde, programa do Disque Denúncia do Rio de Janeiro exclusivo para recebimento de informações sobre crimes ambientais, encontrou 50 metros quadrados de área desmatada,  na Praia de São Gonçalinho, em Paraty, após denúncia recebida pelo serviço.

Cientes das informações, policiais militares lotados na Unidade de Policiamento Ambiental (UPAm) da Juatinga seguiram para o local denunciado e encontraram um rancho, onde havia três árvores de médio porte cortadas, além da supressão de vegetação rasteira. Os agentes da 4ª UPAm, após informações de populares, foram até a residência onde mora o responsável do terreno e quando o questionaram sobre as licenças para a realização da atividade, descobriram que ele não as possuía. Desta forma, encaminharam o responsável pelo crime ambiental à 167ª DP, onde a ocorrência foi registrada com base nos artigos 39 e 60 da lei 9605/98.

Já em Magé, na Baixada Fluminense, denúncias sobre extração ilegal de substância mineral, levaram os policiais militares lotados na 1ª UPAm (Pedra Branca) a uma área de mil metros quadrados, com resquícios de crime ambiental.

Segundo os agentes, no terreno localizado na Avenida Automóvel Clube, no bairro Jardim Nazareno, no ato da fiscalização, não havia máquinas ou pessoas realizando a extração. O caso foi registrado na 66ª DP, com base no artigo 55 da lei de crimes ambientais.

Quem quiser denunciar crimes ambientais na região da Costa Verde e em todo o Sul Fluminense, pode contactar o Linha Verde, através do telefone 0300 2531177 (custo de ligação local) ou ainda utilizando o aplicativo “Disque Denúncia RJ”,  onde é possível anexar fotos e vídeos junto ao relato. 

Em todos os canais, o anonimato é garantido ao denunciante. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top