Assine o fluminense

Mais ajuda para os passageiros

Estado lança mapa metropolitano de transportes, ferramenta que padroniza a visualização dos serviços da área

Resolução torna obrigatória a exposição do mapa em local visível

Henrique Freire/Palácio Guanabara

O Governo do Estado lançou, nesta segunda-feira (3), o Mapa Rio Metropolitano de Transportes. A ferramenta, instituída através da Resolução 1.328, de 27 de novembro de 2018, tem o objetivo de padronizar a visualização de todos os serviços de transportes de alta e média capacidades e as respectivas integrações disponíveis aos passageiros.

Com a iniciativa, torna-se obrigatória a exposição do mapa em local visível (assim como de seu respectivo selo com QR Code) em todos os modais de transporte público, estações e terminais rodoviários sob competência do Estado. Além disso, esses elementos também deverão estar presentes nos pontos de parada e materiais de comunicação e divulgação dos concessionários e permissionários de transporte público.

 “Estamos acostumados a utilizar mapas semelhantes em todo o mundo, mas não contávamos com um no Rio de Janeiro. Disponibilizar a rede estrutural de transportes de uma maneira padronizada é uma forma de aprimorar a mobilidade dos usuários e promover a integração entre todos os modais. A ideia é ampliar ainda mais o leque para que futuramente sejam lançados outros mapas, como um voltado exclusivamente para acessibilidade e um turístico”, explicou o secretário de Transportes, Rodrigo Vieira.

O secretário da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, Sérgio Pimentel, ressaltou a importância do lançamento, que reforça todo o trabalho desenvolvido na área de transportes.

“Esta é uma iniciativa que precisava ser tomada. Cabe a nós, como Estado, compilar e divulgar essas informações para fazermos um papel de facilitador e de informador da população em relação aos serviços públicos que são disponibilizados. Quem já andou pelas principais cidades do mundo sabe que quanto melhor for um Mapa de Transporte, mais fácil é a vida do turista. Essa é uma iniciativa de transição fundamental. É um legado do que foi feito”, disse Sérgio Pimentel.

Prazo – O prazo para adequação é de 30 dias, que começou a contar nesta segunda-feira. Os modais municipais também poderão disponibilizar esse conteúdo em seus respectivos sistemas de transporte e materiais de divulgação, o que facilitará ainda mais a mobilidade do cidadão fluminense. Além disso, todo o conteúdo poderá ser divulgado livremente em publicações.

 
Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top