Assine o fluminense

Manifestação pede justiça pela morte de jogador

Centenas de pessoas saíram do cemitério em direção à Grota

Manifestantes voltaram às ruas em protesto pela morte do adolescente

Colaboração/Anderson Justino

Por Anderson Justino

Após o enterro de Dyogo Xavier, de 16 anos, centenas de amigos e familiares saíram do Cemitério São Francisco Xavier, em Charitas, em protesto pela Avenida Prefeito Silvio Picanço, na tarde desta terça-feira (13). Com faixas e camisas com a foto do adolescente, os manifestantes seguem até a comunidade da Grota do Surucucu, em São Francisco, pedindo Justiça. 

Manifestantes caminharam ainda com blusas brancas manchadas de tinta vermelha em alusão ao sangue na blusa do avô do menino após tentar regastá-lo na tarde de segunda-feira (12).  Gritos de "mataram jogador" e "não era traficante, era inocente" foram ouvidos durante a caminhada.

Agentes da NitTrans e Policiais Militares acompanharam o trajeto que seguiu da Avenida Prefeito Silvio Picanço, seguindo pela Avenida Rui Barbosa, em São Francisco, até chegar a comunidade. 

Dyogo Xavier Costa, de 16 anos, foi morto na tarde desta segunda-feira, durante uma operação do COE na Comunidade Grota do Surucucu. Jogador da divisão de base do América, no Rio, Coutinho, como era chamado pelos amigos, foi atingido pelas costas por três tiros de fuzil.

Um tio do adolescente criticou a ação da polícia e, junto à família, descarta a hipótese de bala perdida. Familiares acusam a PM de ter efetuado o disparo de fuzil que matou Dyogo.

"Esses dois policiais que atingiram o meu sobrinho deveriam entregar suas fardas porque eles não honram a corporação da Polícia Militar. Eles assassinaram o meu sobrinho. O garoto estava indo para o treino, tinha um futuro brilhante", declarou o tio. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top