Assine o fluminense

Moradores mobilizados para defender Campo de São Bento

Abaixo-assinado pede limpeza e fim de eventos que, segundo frequentadores, ajudam a degradar o parque

Mureta quebrada coloca em risco a segurança dos frequentadores do parque

Foto: Marcelo Feitosa

Principal reduto de lazer da Zona Sul da cidade, o Campo de São Bento, em Icaraí, sofre com a falta de conservação. Segundo frequentadores, falta limpeza e o lixo se acumula pelo parque. Os banheiros públicos e bancos estão depredados. O canal que atravessa o espaço exala forte mau cheiro e os parapeitos que o cercam estão degradados. 

Como se não bastasse, a vegetação está ressecada e as plantas já não florescem mais. Frequentadores atribuem o problema à falta de poda e ao mato que cresce entre os galhos secos e sufoca as plantas ornamentais. Eles também culpam a utilização dos espaço para shows, food trucks e outros eventos, alegando que o parque não tem infraestrutura para recebê-los. 

Por conta disso, um abaixo-assinado está sendo elaborado por frequentadores do espaço e moradores do bairro, exigindo a proibição de grandes eventos no local.

“Desde o início do ano, o quadro é de abandono. Antes, os jardins do parque atraíam todas as atenções, porque havia vida no ecossistema local e as plantas floresciam. Hoje, o que vemos é um grande matagal que não para de crescer em diversos pontos e vem aniquilando a beleza das plantas. É triste observar as espécies nativas apodrecendo por falta de manutenção, justamente na área que é patrimônio público da cidade e já foi cenário até de produções cinematográficas”, lamenta o aposentado Sérgio Frederico Moura, de 79 anos.

Para frequentadores, desde que o parque passou a ser palco de eventos gastronômicos, os problemas se agravaram. A comerciante Maria Rita Siqueira, de 57 anos, conta que, nos dias posteriores aos festivais, são os próprios feirantes que realizam a limpeza local, pois não há manutenção no parque. Ela denuncia que esgoto corre a céu aberto pelo canal que atravessa o parque.

Visitantes sofrem também com a depredação das lixeiras e a sujeira no espaço

Foto: Marcelo Feitosa

“O Campo de São Bento é um jardim público urbano que abrange uma variedade de espécies de plantas e de animais. Portanto, a área não tem capacidade para receber esse tipo de evento.

Geralmente, os resíduos deixados no local demoram até três dias para serem recolhidos. Além disso, somos obrigados a conviver com o mau cheiro proveniente do canal, que há meses não é limpo e nos dias de evento sofre ainda mais com a sujeira deixada”, lamenta.

O bem-estar dos animais é outra preocupação dos frequentadores. A aposentada Fernanda Tristão, de 79 anos, diz que a água turva das lagoas vem gerando impactos no habitat natural dos peixes e patos que, atualmente, buscam refúgio nas margens da lagoa. 

“Como cidadã fluminense fico com o coração partido em ver o local que fez parte da infância dos meus filhos nesse estado de abandono. O poder público precisa reverter esse quadro para que as próximas gerações possam usufruir do patrimônio”, disse a aposentada.

A Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (Seconser) informou que a conservação do Campo de São Bento é realizada diariamente, com equipe própria. Além disso, medidas de revitalização do Campo estão sendo realizadas, para garantir a limpeza do Rio Icaraí.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

vera m abreu
Concordo c todas as reclamações. Temos o Estádio Caio Martins, que deveria ser usado p estes eventos, e deixar o Campo p recreação!
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

Veja também

Scroll To Top