Assine o fluminense
Bruno Serpa Pinto

O presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Niterói fala sobre o mercado de imóveis na cidade

Niterói e Maricá: os “novos ricos” do petróleo

O noticiário recente trouxe uma grande notícia para Niteroí e Maricá: a arrecadação de royalties sobre a produção de petróleo e gás no país cresceu 23% no primeiro trimestre deste ano, ante igual período do ano passado. Maior beneficiário, o estado do Rio de Janeiro viu sua arrecadação subir 25,8%, para R$ 868 milhões no primeiro trimestre. 

A mudança de ventos também traz outros impulsos: o aumento do PIB fluminense estimado para 2019 é de 6,1%, quase o dobro do esperado para o Brasil. Confirmadas as previsões, será a primeira vez desde 2015 que o estado vai crescer mais que a média do país. Com o novo ciclo de expansão dos royalties, os cofres públicos terão uma injeção de recursos e a situação fiscal ganhará um impulso. 

Tudo isso indica uma forte retomada da economia e do emprego no estado, o que também deve reacender o sonho de quem busca a sua casa própria. Somado aos preços extremamente competitivos e taxas de juro favoráveis, a busca por um imóvel deve entrar no radar de todo cidadão fluminense – seja como moradia ou como investimento em um mercado que está prestes a se reaquecer. 

Os dados da ANP, no entanto, ainda não contabilizaram as receitas com participações especiais (compensação financeira paga pelos campos mais relevantes), que tendem a beneficiar sobretudo a Maricá e Niterói, os “novos ricos do petróleo”. 

O grande responsável pelo impulso dado nessa arrecadação é o campo petrolífero de Lula, que responde por 25% de toda a produção nacional. Trata-se do maior produtor e explorador de petróleo do país, que encaminha a Niterói 43% de seus royalties relacionados à sua confrontação territorial, enquanto 49% vai para Maricá e os 8% restantes ao Rio.

Em 2017, as cidades receberam R$ 1,5 bilhão em compensações financeiras pela exploração, 130% mais do que em 2016. Os dividendos colocaram no ano passado, pela primeira vez, Maricá e Niterói no topo dos municípios que mais recebem recursos do petróleo, ultrapassando Campos dos Goytacazes e Macaé.

Entre outras ações que indicam a retomada do crescimento nos municípios, está a reabertura do aeroporto de Maricá, no qual empresas de táxi aéreo que prestam serviço para as plataformas de petróleo operarão. Além disso, a encomenda de plataformas de petróleo para a região proporcionará um recorde para a indústria naval do estado, gerando emprego e renda. 

A ADEMI-Niterói acredita que este é um momento crucial para deixar a crise para trás: os indicadores de confiança têm visto melhoras, os números de atividade surpreendem e há espaço para os juros continuarem caindo sem consequências inflacionárias. 

Essas projeções se confirmam entre os nossos associados com o sucesso da campanha Black Week, iniciada na última semana, com a qual várias famílias estão realizando o sonho da casa da própria. Hoje é o último dia da promoção. Não perca esta oportunidade! 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top