Assine o fluminense

Niterói: vistoria em prol do saneamento

Comissão de Saneamento Ambiental da Alerj visitou rios e canais da cidade

Comissão de Saneamento Ambiental da Alerj visitou rios e canais da cidade

Marcelo Feitosa

Membros da Comissão de Saneamento Ambiental (Cosan) da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) visitaram na manhã desta segunda-feira (20) rios e canais de Niterói que desembocam nas lagoas de Itaipu e Piratininga, na Região Oceânica, e nas praias da Baía de Guanabara. Segundo o presidente da Comissão, deputado Gustavo Schmidt (PSL), será solicitada uma análise do Inea para identificar se há a presença de esgoto in natura em Niterói, já que a informação é de que 95% do esgoto da cidade é tratado.

Junto a equipes da concessionária Águas de Niterói, Prefeitura de Niterói e do Inea, a comissão percorreu pontos específicos na Região Oceânica e Zona Sul, vistoriando efluentes que deságuam no Canal do Camboatá, valão de Santo Antônio, Rio Colibri, Rio Engenho do Mato e os canais de São Francisco e Ari Parreiras.

“Em Icaraí, percebemos que há indícios de esgoto na galeria de água pluvial no final da praia. Também vamos agendar uma vistoria no emissário submarino de Icaraí”, adiantou Schmidt. O resultado da análise será apresentado em audiência pública, em 13 de junho, na Câmara de Vereadores de Niterói. O encontro irá tratar da gestão pública do saneamento básico na cidade.

Convidada a participar da vistoria, a Águas de Niterói informou que não foram identificadas demandas competentes à concessionária. A empresa ressaltou que toda a região vistoriada é provida de rede coletora de esgoto e que o município conta atualmente com 95% de esgoto coletado e tratado, oito estações de tratamento de esgoto. No próximo dia 5, será inaugurada mais uma estação para atender a bacia do Sapê.

“Com objetivo de mitigar o problema dos lançamentos clandestinos de esgotos nas redes de águas pluviais, a concessionária apoia o Inea no projeto Se Liga, que busca identificar e regularizar lançamentos irregulares de esgoto em redes pluviais e demais corpos hídricos. Águas de Niterói busca ainda reduzir os efeitos desses lançamentos irregulares através da implantação de estações de coleta em tomada em tempo seco, como as que existem nos canais Ari Parreiras e São Francisco”, informa a nota da concessionária. 

Já a Prefeitura de Niterói informou que os dados do Ranking ABES da Universalização do Saneamento 2018 mostram que Niterói alcançou 94,78% do esgoto coletado e 100% é tratado. Municípios vizinhos, Rio de Janeiro e São Gonçalo têm 85,16% e 38,09% do esgoto coletado e 55,64% e 16,35% do resíduo tratado, respectivamente. Na Baixada Fluminense, Duque de Caxias possui 44,56% do esgoto coletado e 4,86% tratado, Nova Iguaçu tem 45,08% do resíduo coletado e nada tratado e Nilópolis 94,74% (coleta) e nada tratado.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top