Assine o fluminense

Plataforma que incentiva ações de voluntariado leva prêmio do HackNit

No evento, 14 equipes participaram de uma maratona de 36 horas de troca de ideias

Os projetos vencedores foram considerados pelos jurados como os mais viáveis e mais próximos das metas de políticas públicas previstas pela gestão municipal.

Foto: Bruno Eduardo Alves / Prefeitura de Niterói

O incentivo ao voluntariado foi o grande vencedor do HackNit – primeira maratona de tecnologia promovida pela Prefeitura de Niterói. No fim da tarde de domingo (26), depois de 36 horas de troca de ideias, integração e muita conectividade, os 14 grupos apresentaram seus projetos e três deles foram selecionados pelos jurados como as melhores soluções digitais para a cidade de Niterói. Durante a premiação foi anunciado que ano que vem será realizada uma nova edição do evento.

Além da área de Voluntariado, a Saúde e a Educação também foram contempladas. O segundo lugar foi para o aplicativo SOS Educação, que visa incentivar a maior participação dos responsáveis na vida escolar dos filhos.  Já o terceiro, ficou com a equipe que desenvolveu o aplicativo Vacina Ação – uma solução para aperfeiçoar o programa de vacinação do município e a comunicação entre os postos de Saúde e os usuários, com informações on-line sobre o calendário de vacinação.

Os projetos foram considerados pelos jurados como os mais viáveis e mais próximos das metas de políticas públicas previstas pela gestão municipal. O primeiro colocado levou R$ 20 mil, o segundo, R$ 10 mil e o terceiro, R$ 5 mil.

De acordo com a secretária de Planejamento, Modernização da Gestão e Orçamento, Giovanna Victer, a meta é aproveitar ao máximo as propostas apresentadas pelas equipes nesta primeira edição do evento.

"Não estamos encerrando esse projeto aqui. Vamos dar continuidade e criar a comunidade HackNit para pensar e estruturar a hackathon de 2019 e além das propostas premiadas que ficarão em Niterói, vamos encaminhar as soluções e os contatos dos participantes para outras cidades. Queremos ver essas soluções funcionando", disse.

A equipe campeã desenvolveu uma plataforma denominada de Hago, que incentiva o voluntariado. Segundo os integrantes da equipe, hago significa homem em ação e com a plataforma eles querem ajudar os niteroienses a buscarem ações de solidariedade, participarem delas e acompanhar os resultados esperados.

Morador do bairro Santa Bárbara e integrante da equipe campeã, Artur Oliveira Guedes, de 25 anos, disse estar duplamente feliz: primeiro pelo prêmio, segundo por contribuir com a cidade onde vive:

“A ficha demora a cair. Foi a primeira vez que participei de um hackathon. Não conhecia ninguém da minha equipe. Nos conhecemos aqui e rolou essa sintonia que acabou em vitória. Como morador de Niterói fico feliz em poder ajudar a Prefeitura a oferecer serviços ainda melhores para a população”.

Além do prêmio em dinheiro, a equipe da Hago vai poder, a partir de novembro, entrar em uma etapa avançada da HackBrazil, a chamada “fase Maker”, sem passar pelo processo inicial de seleção e receber mentoria da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), ambos dos Estados Unidos, para aperfeiçoar seus projetos.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top