Assine o fluminense

Polícia Ambiental perto de retornar à Fazenda Colubandê

Ainda sem data, autoridades afirmam que esperam apenas trâmites burocráticos

Segundo o comando da CPAm, o fato do ter atuado na região por cerca de 24 anos facilita nas ações junto à população em relação à educação ambiental

Foto: Evelen Gouvêa

Após anos de reivindicação por parte de moradores, o Comando de Polícia Ambiental do Estado (CPAm) pretende se reinstalar na Fazenda Colubandê, importante marco histórico localizado no bairro gonçalense. Ainda sem data específica para a retomada, autoridades do próprio Comando afirmam que apenas esperam o fim de trâmites burocráticos para iniciar a ação. 

Na último dia 25, no entanto, já foi realizada uma solenidade no local em comemoração ao trigésimo aniversário do comando. O prefeito de São Gonçalo, José Luís Nanci, entende que a Prefeitura poderá ser útil para a volta do CPAm ao município.

“Auxiliaremos especialmente na manutenção dos jardins e das vias ali presentes. A volta do Comando é importante não apenas para a conservação do patrimônio, mas também para a segurança do bairro, que precisa de maiores cuidados”, destacou.

Já para o Coronel Mário Márcio Pereira Fernandes, comandante do CPAm, o local é importante pela ligação que o Comando tem junto à comunidade do entorno.

“Como já estivemos instalados na região por cerca de 24 anos, conseguimos desenvolver projetos que aumentaram a consciência da população em relação à educação ambiental, por exemplo. Além disso, será um grande prazer reativar o local, ponto histórico que merece nosso respeito”.

No momento, o CPAm está instalado no bairro de Bonsucesso, na cidade do Rio de Janeiro. O Comando estava instalado na Fazenda Colubandê enquanto Batalhão de Polícia Florestal e de Meio Ambiente (BPFMA) de 1986 a 2012, quando foi transformado em Comando.

Ainda não foram colocadas informações precisas sobre as possíveis obras a serem realizadas no local. No entanto, em última licitação realizada pelo Governo do Estado em maio deste ano para a restauração do casarão e da Capela de Sant’Anna, o serviço foi orçado em R$ 249 mil. A licitação foi malsucedida e moradores acusavam o abandono e a má conservação do local por parte do Poder Público.

A estrutura do altar da Capela, por exemplo, foi roubada em fevereiro deste ano. Além disso, o templo serve hoje como abrigo para moradores de rua. Os únicos locais ainda utilizados pela população são a pista de atletismo e os campos de futebol, na parte externa do terreno.

Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 1940, o imóvel foi construído em 1618 em homenagem à Nossa Senhora de Montserrat.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Vilmar Sidnei DEMAMAM BERNA
Parabéns! Na pessoa do Cel Fernandes faço minha homenagem a todos os guerreiros e guerreiras pelo meio ambiente no RJ. A luta de vocês não foi nem será em vão! Cada um de vocês que passaram e que ainda passarão pela Fazenda do Columbande são parte da história pela preservação do meio ambiente e da cultura e história de nosso planeta, sim, por são Gonçalo RJ, onde comecei minha jornada como ambientalista, é uma parte importante do nosso Planeta. Fazendo por são Gonçalo ou pelo estado do Rio de janeiro, vocês, bravos guerreiros e guerreiras, estão fazendo pelo planeta terra.
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

Scroll To Top