Assine o fluminense
Charbel Tauil

O presidente do Sindicato dos Lojistas de Niterói traz os bastidores da rede varejistas da cidade e as principais novidades do setor

A hora da verdade

Com os décimos-terceiros sendo pagos e o calendário entrando na contagem final para as festas de final de ano, o Comércio está entrando na hora da verdade. Cada lojista está fazendo os ajustes finais de equipes e decoração, apostando em ter um mix de produtos atraentes e com preços competitivos e com promoção eficaz.

Serão dias de muito trabalho, com todos se desdobrando da melhor forma possível para agradar aos consumidores e aumentar suas vendas, numa tentativa de compensar o fraco movimento dos últimos meses. No caso de Niterói, é especialmente importante o recebimento em dia pelo funcionalismo público municipal, estadual e federal, uma vez que o segmento é expressivo em nossa população.

Para quem não é do ramo, vale dizer que a segunda parcela dos décimos-terceiros é aquela “que vale”, em termos de vendas natalinas. É que a primeira parcela, quase invariavelmente, acaba sendo utilizada para quitar ou reduzir dívidas, ou para despesas de rotina do trabalhador. Já quando sai a segunda parcela é que o consumo dá um salto: é o momento de comprar presentes, confraternizar com amigos e colegas de trabalho, investir na decoração da casa e comprar comidas e bebidas para as comemorações.  É quando o clima festivo se instaura de vez.

Seja como for, o impacto do décimo-terceiro é mais do que respeitável. No total, a Fecomércio-RJ estima que, entre trabalhadores privados e servidores públicos, o 13º salário injetará em torno de R$ 8,8 bilhões na economia fluminense este ano. Segundo estudo da Federação do Comércio, serão cerca de 3,9 milhões de trabalhadores formais recebendo seus 13ºs, num valor médio de R$ 2.240. 

E o clima é de otimismo: um outro levantamento, extraído de 400 entrevistas com comerciantes de todo o RJ, nada menos que 66% dos empresários disseram esperar que as vendas de Natal deste ano atinjam faturamento igual ou maior que em 2017. Tomara.

O próprio movimento das festas natalinas traz em si uma absorção de mão-de-obra, principalmente através dos trabalhadores temporários no Comércio — que por sua vez se traduzem em mais consumidores com dinheiro, fazendo girar a roda da economia.  Aqui em Niterói, estimamos cerca de três mil contratações temporárias, em especial nos ramos varejistas de vestuário e calçados, joias e bijuterias, magazines, tecidos e artigos de cama mesa e banho, eletroeletrônicos, papelarias, produtos de perfumaria, CDs e DVDs e brinquedos.

Registre-se que aqui na cidade finalmente foram liberadas as tão aguardadas vagas extras para estacionamento de carros (o que facilita em muito o Comércio), e alguns dos principais eixos de tráfego estão com alguma ornamentação temática, que também cumprem seu papel no estímulo a um clima positivo para as vendas.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Mais notícias de Charbel Tauil

Scroll To Top