Assine o fluminense

Prefeitura de Niterói inicia Plano de Saneamento Ambiental

Planejamento dará diretrizes sobe a água, coleta de esgoto e gestão de resíduos

 

Foto: Arquivo

A Prefeitura de Niterói finalizou o processo licitatório e definiu a empresa que irá elaborar o Plano Municipal de Saneamento Ambiental (PSA). Os estudos que resultarão no projeto estão previstos para iniciarem na primeira quinzena de maio. O objetivo do plano é estabelecer prioridades e metas a serem cumpridas futuramente na cidade, no que tange ao saneamento ambiental.  A previsão de conclusão da primeira etapa é dezembro deste ano. 

Segundo o secretário de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão, Axel Grael, o Plano Municipal de Saneamento vai orientar os caminhos a serem adotados pela municipalidade para avançar na excelência dos serviços.

“Nosso trabalho não se finda quando atingirmos, por exemplo, os 100% de cobertura tratamento de esgoto. Este é o ponto de partida para podermos focar na despoluição de lagoas e rios que receberam dejetos sem tratamento durante anos. Apesar das conquistas alcançadas no saneamento ambiental em Niterói, o PSA é fundamental”, afirma Grael.  

Com quatro frentes de atuação – abastecimento de água, coleta de esgoto, gestão de resíduos sólidos e drenagem – o planejamento dará ênfase, sobretudo, às considerações sobre drenagem dos rios, valões e lagoas da cidade. A ideia é, neste primeiro momento, cadastrar toda a área do primeiro distrito – Centro, Zona Sul e Zona Norte da cidade.  

“O Município já tem políticas bem estabelecidas de distribuição de água, tratamento de esgoto e coleta de lixo. Temos 100% da cidade com abastecimento de água potável. Estamos próximos de atingir a universalização do esgotamento sanitário e somos a segunda melhor cidade do país em gestão de resíduos sólidos. No entanto, temos que dar maior atenção à drenagem dos nossos rios e lagoas”, avalia a secretária de Conservação e Serviços Públicos, Dayse Monassa. 

Futuro - A implementação da Estação de Tratamento (ETE) Badu, que inicia as obras no segundo semestre desde ano, deixará a cidade ainda mais perto da universalização do esgotamento sanitário.

Com as ETEs Sapê e Badu, o município alcançará o índice de 98% de efluentes tratados, restando apenas as regiões do Rio do Ouro e Várzea das Moças, que terão a implantação do sistema previsto para ser iniciado em 2020.

Atualmente, a população de Niterói conta com 100% de distribuição de água e 97% de coleta e tratamento do esgoto. Vale ressaltar que a cidade ainda conta com oito ETEs em funcionamento: Maria Paula, Barreto, Camboinhas, Icaraí, Itaipu, Jurujuba, Mocanguê e Toque-Toque. A ETE Sapê entrará em operação em junho. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top