NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Prejuízo de R$ 1,6 bi aos cofres cariocas

O procurador-geral do município do Rio, Marcelo Marques, encaminhou um ofício ao procurador-geral de Justiça, José Eduardo Gussem, no qual comunica ao Ministério Público irregularidades constatadas por sindicância administrativa no 11º Termo Aditivo da concessão da Linha Amarela, assinado em maio de 2010. 

“Cabe agora ao MP tomar as medidas penais cabíveis”, afirmou Marques. A estimativa do prejuízo, calculado em auditoria realizada pela Controladoria Geral do Município, é de R$ 1,6 bilhão por sobrepreço nas obras, cobrança de tarifa acima do necessário para manter o equilíbrio do contrato, e fluxo de veículos subestimado. 

“A Lamsa esclarece que desde o início da concessão, tem atuado alinhada às regras municipais, sempre dentro da legalidade. No 11º Termo Aditivo, a empresa investiu com recursos exclusivamente privados R$ 251 milhões na realização das obras solicitadas pela prefeitura. O aditivo tramitou por todos órgãos municipais competentes. A concessionária discorda do cálculo responderá a notificação da Prefeitura.  

Scroll To Top