Assine o fluminense

Procon dá dicas sobre viagens aérias

Siba os cuidados na contratação do serviço, atraso ou interrupções de voos e até violação de bagagem

O Procon Estadual ensina o que fazer e como fazer caso o consumidor tenha algum problema em voo na viagem de férias, carnaval ou mesmo de trabalho. O Procon também dá dicas sobre cuidados na contratação do serviço, atraso ou interrupções de voos e o que fazer em caso de violação de bagagem.

A primeira dica do Procon é ficar atento já na aquisição dos serviços. A orientação é para guardar os materiais promocionais, como anúncios de jornais e internet. Além disso, os especialistas do órgão alertam para a importância de ter em mãos vouchers, notas de débito ou recibo da fatura e documentos da reserva no hotel.

Quando os problemas forem com o voo, a indicação é para que primeiro se busque a solução com a própria companhia aérea. Se não for atendido ou não ficar satisfeito, deve-se procurar um dos postos de atendimento do Procon-RJ. Os endereços estão no site da autarquia (www.procon.rj.gov.br). Outra opção para o consumidor é fazer sua reclamação na internet, pelo site www.procononline.rj.gov.br ou e-mail reclame@procon.rj.gov.br. O passageiro pode também solicitar o Livro de Reclamações da companhia aérea para registrar a sua queixa.

Fique atento

Em casos de atraso ou interrupção de voo, o Procon lembra que o consumidor possui direitos específicos, segundo a Resolução n° 400 da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac). Para atrasos de uma hora, o consumidor tem direito a telefone ou internet. Com duas horas, deve ser oferecida alimentação adequada ao tempo de espera, podendo ser um voucher para consumo em algum estabelecimento no aeroporto. Já para atrasos de quatro horas, é preciso fornecer ao cliente acomodação em local adequado no espaço interno do aeroporto ou hotel.

Problemas com danos e violação de bagagem devem ser comunicados imediatamente à empresa, no próprio aeroporto. O Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB), que é feito por formulário próprio, é importantíssimo para o encaminhamento da questão, segundo o Procon. O órgão alerta que malas, sacolas, pacotes ou bolsas de mão devem ser identificados por dentro e por fora, com etiquetas que contenham nome, endereço completo e telefone do consumidor.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top