Assine o fluminense

Prova de fogo no transporte público de Niterói e região

Barcas e ônibus têm sido sinônimos de sofrimento para seus usuários

Moradores da Zona Norte de Niterói reclamam da ausência de ônibus com ar-condicionado nesta região da cidade

Foto: Lucas Benevides

Em alguns lugares, entrar no transporte público pode ser sinônimo de se livrar do calor. Entretanto, em Niterói e São Gonçalo, passageiros de ônibus e barcas apontam que esta máxima não é vista nas cidades. Neste verão, não é difícil encontrar coletivos com todas as janelas abertas e passageiros se abanando ou com toalhinhas para aliviar o calor. 
No transporte aquaviário, a reclamação é que as barcas climatizadas ficam atracadas nas estações enquanto as embarcações mais antigas saem para realizar as viagens. Nas últimas semanas, diversos passageiros publicaram reclamações pelas redes sociais e um deles chegou a passar mal de calor. 

Questionada, a CCR Barcas disse que a frota é planejada conforme a demanda média de passageiros por horários e/ou a disponibilidade dos barcos e ressaltou que o contrato em vigor não prevê a disponibilidade de sistema de climatização nas linhas sociais, porém, a empresa trabalha para que, sempre que possível, as embarcações com sistema de refrigeração sejam disponibilizadas na Linha Arariboia.

Quando questionada sobre a não utilização das embarcações climatizadas durante as altas temperaturas, a CCR Barcas informou que, ao longo do dia, é comum haver embarcações, temporariamente, atracadas nas estações. O procedimento é adotado para que serviços de manutenção preventiva, recarga de energia, conservação e limpeza possam ser realizados e, com isso, os barcos operem em perfeitas condições.

Já em relação aos ônibus, moradores de Niterói criticam a falta de coletivos climatizados principalmente na Zona Norte da cidade. Nesta semana, uma publicação nas redes sociais informava que o motorista da linha 66 (São Lourenço-Centro), da empresa Barreto, passou mal por conta da falta de ar-condicionado. Procurada, a empresa não respondeu sobre o assunto. 

A Prefeitura de Niterói disse que estabeleceu uma meta de climatização de 90% da frota de ônibus da cidade, que não constava do contrato de concessão. O consórcio TransOceânico tem mais de 90% de seus ônibus com ar-condicionado. A Prefeitura salientou que está cobrando do consórcio TransNit para que este ano o grupo consiga ampliar o número de ônibus climatizados e atingir a meta.

Niterói tem hoje a maior frota de ônibus com ar-condicionado do Estado do Rio, com quase 90% dos coletivos climatizados.

Já a Prefeitura de São Gonçalo disse que cerca de 50% da frota que atua no município é climatizada e a expectativa é que o número chegue a 100% até o final da atual gestão, ressaltando que ônibus não eram climatizados até o início da gestão do atual prefeito, José Luiz Nanci. O Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Setrerj) também não respondeu aos questionamentos.

Trabalhadores precisam abusar do protetor para encarar o calor

Foto: Lucas Benevides

Árdua tarefa de trabalhar ao sol 

Se andar pela cidade com a temperatura na casa dos 40ºC já é difícil, trabalhar debaixo do sol forte é ainda mais. Guardas de trânsito, agentes de segurança pública, funcionários de obras, vendedores ambulantes, carteiros, garis… a lista de profissionais que trabalham ao ar livre é extensa e os cuidados também precisam ser. 

Operador de roçadeira há anos, Jerônimo Duarte, de 50 anos, já está acostumado com o trabalho, mas ainda sofre com o calor excessivo. Nesta semana, com temperaturas batendo recorde, chegou a sentir tontura.

“Todo dia de manhã colocamos protetor solar e vamos repondo com o tempo. Mas não dá para fugir do calor, a sorte é quando tem alguma árvore e conseguimos uma sombra. O jeito é se hidratar com bastante água”, contou, completando que o uniforme fechado nas mangas e nas pernas ajuda na proteção do corpo. 

Quem também se protege do sol como pode são os guardas de trânsito. Presentes nas principais vias de Niterói e em constantes deslocamentos, não sobra muita sombra, mas segundo um deles que prefere não se identificar, é preciso muito protetor solar. 

“Uso uma blusa de manga comprida debaixo do uniforme para aumentar a proteção e estou sempre com uma água, se não, não dá para aguentar, é muito quente”, disse.
 

Cuidados com o corpo no verão 

Usar protetor solar e estar bem hidratado são dicas que devem ser utilizadas ao longo de todo o ano. Porém, no verão, a atenção deve ser redobrada por conta da maior exposição ao sol, suor excessivo, risco de desidratação e a maior chance de contágio de algumas doenças cutâneas típicas da estação. A dermatologista Lilian Delorenze reforça que o filtro solar deve ser usado sempre, mas também é preciso caprichar na hidratação.

“Com o sol, vento, cloro e água salgada a pele perde sua hidratação natural. Bebendo água, mantém a hidratação e a probabilidade de ressecar e descascar diminui. Já no rosto, capriche em antioxidantes para neutralizar os radicais livres”, aconselha, completando que o ideal é usar roupas arejadas.

Número de pacientes aumentou em 30% no Pronto Socorro de São Gonçalo nas últimas três semanas por conta do calor

Foto: Arquivo / Marcelo Feitosa

O filtro solar deve ser aplicado nas áreas expostas do corpo todos os dias e reaplicado a cada duas horas. O aconselhável é que peles mais claras usem filtros com FPS 30 (no mínimo) e aumentem para exposição mais intensa, já peles mais morenas podem usar FPS menores, desde que diariamente. Idosos e crianças são mais sensíveis às altas temperaturas do verão, o que pode provocar desidratação, quedas bruscas de pressão, indisposições alimentares e infecções respiratórias, principalmente nos mais velhos.

Segundo a dermatologista Sylvia Cysneiros, bebês a partir dos seis meses de idade já podem usar filtro solar e o uso de roupas e chapéus com proteção solar no tecido são aliados. Também é preciso ficar atento às doenças típicas do verão, já que a exposição ao sol, suor e o hábito de frequentar ambientes comunitários (praias, piscinas, saunas) elevam o risco de algumas doenças de pele como micoses, brotoejas, foliculite e acne solar.

A alimentação também deve ser cuidadosa neste período do ano. Para não exagerar, o ideal é priorizar refeições leves e refrescantes e se manter hidratado. A nutricionista Luciana Harfenist alerta que nesta época do ano muitas pessoas acabam perdendo o apetite e apostando no petisco, o que contribui para o ganho de peso e uma digestão mais lenta devido ao consumo excessivo de alimentos ricos em gorduras e carboidratos refinados (doces, pães e massas).

“Para onde for, leve na bolsa uma garrafinha de água e alguns lanchinhos saudáveis para evitar o mal-estar (frutas, mix de oleaginosas e sementes). No dia a dia, aposte em saladas variadas com folhas, verduras, legumes, raízes e grãos, acompanhadas por alguma carne magra. São opções nutritivas, leves e mais refrescantes”, indica.

Mais casos em São Gonçalo 

A estação mais quente do ano, o verão, costuma apresentar temperaturas próximas ou acima dos 40°C. Neste período, doenças como insolação, desidratação, intoxicação alimentar e até queimaduras de sol podem se tornar mais frequentes. Em São Gonçalo, o número de pacientes com o sintoma de alguma delas aumentou em 30% no Pronto Socorro municipal nas últimas três semanas. Niterói não divulgou dados referentes a procura em unidades de saúde.

De acordo com a Fundação Municipal de Saúde de Niterói, para evitar indisposição e aproveitar o verão sem riscos, é preciso ficar sempre atento. Para escapar da intoxicação alimentar, por exemplo, cheque a qualidade e conservação dos alimentos e observe sintomas de diarreia, náuseas e vômitos, que também podem levar à desidratação.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Elson Luiz
Acrescentar a tudo isso, o sacrifício que os passageiros tem que fazer nos pontos de ônibus sem nenhuma proteção contra o sol e a chuva.
Vote up!
Vote down!

: 1

You voted ‘up’

Sebastião
Ha anos que vem tendo aumentos abusivos de tarifas com pretexto de melhorias nos ônibus e barcas, dão uma tapeada e ninguém cobra, só querem vantagens dada pela prefeitura e governo.
Vote up!
Vote down!

: 1

You voted ‘up’

Fernanda
Pois é, ar condicionado hoje em dia é questão de saúde, todos os transportes já deveriam ter
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

Marcus luiz Soaresde oliveira
As duas piores empresas de Niterói.Brasilia e Barreto
Vote up!
Vote down!

: 1

You voted ‘up’

Creonice Soares
É realmente um absurdo e desonroso, o Sérgio Cabral ter aprovado a compra de barcas sem ar condicionado. Sem contar as diversas multas aplicadas a empresa de ônibus, que ninguém sabe se pagam, onde nunca cumprem a lei para colocar ar condicionado nos onibus. Se o Cabral ou sua família utilizassem esses transportes não seriam assim.
Vote up!
Vote down!

: 1

You voted ‘up’

Cleir Victorino Pacheco
O transporte público em diversas parte do Rio é uma piada de mal gosto, vide o município de São Gonçalo, no qual alguns coletivos estão sucateados, em alguns casos não tem ar condicionado, mas, talvez no mês de fevereiro haja um aumento no valor das passagem ( NÃO HAVERÁ MELHORIA NOS ÔNIBUS ) como sempre acontece a maioria da população estará se divertindo ao ritmo do carnaval ( pão e circo ).
Vote up!
Vote down!

: 1

You voted ‘up’

Fernanda
Hoje em dia todos os transportes necessitam de ar condicionado, é uma questão de saúde. As cidades precisam de mais árvores, elas refrescam e fornecem sombra
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

Veja também

Scroll To Top