Assine o fluminense

Radares da RJ-104 começam a ser substituídos gradativamente

Segundo o DER/RJ, o procedimento de troca e ativação dos aparelhos deverá ser concluído até final de janeiro

Motoristas que utilizam a via constantemente temem o aumento no número de acidentes durante este processo

Evelen Gouvêa

Quem passa diariamente pela RJ-104 pôde perceber que alguns pontos da via, como na altura do bairro Tribobó, por exemplo, estão sem radares em ambos os sentidos. Isso porque, segundo o Departamento Estadual de Estradas de Rodagem do Rio de Janeiro (DER/RJ), os aparelhos estão sendo substituídos por equipamentos mais modernos, desde o final de novembro. Em nota, o DER/RJ informou, ainda, que o procedimento para troca e ativação dos aparelhos deverá estar totalmente concluído até o final de janeiro. 

Além da RJ-104, que liga Niterói e São Gonçalo, a RJ-106, que corta os municípios de Niterói, São Gonçalo e Maricá, também está em processo de troca dos radares. O DER/RJ diz que o procedimento está sendo feito progressivamente. Os equipamentos estão sendo instalados em todas as rodovias estaduais de responsabilidade do DER. O valor estimado é de R$ 49.709.035,45.

Motoristas e pedestres, no entanto, acreditam que a falta dos radares pode fazer com que o número de acidentes aumente. 

“O número de acidentes nessas rodovias é assustador. Fora as condições que são cada vez mais deploráveis. Espero que essa troca aconteça o mais rápido possível, porque, com a chegada das festas de fim de ano, as tragédias nas estradas tendem a aumentar”, disse o farmacêutico Jorge Souza, que passa constantemente pela RJ-104.

Em setembro deste ano, foi publicado o resultado da licitação do DER/RJ que informava a escolha dos responsáveis pelos radares, divididas em três lotes, com validade de 30 meses. O Lote 1 - que contempla a RJ-104 e RJ-106, estradas que ligam Niterói à Região dos Lagos - ficou com a Talentech Tecnologia no valor de R$ 11 milhões; o Lote 2 é de responsabilidade da Eliseu Kopp & Cia LTDA, no valor de R$ 12,5 milhões; e o lote 3, da Splice Indústria, Comércio e Serviços LTDA, no valor de R$ 10,2 milhões, ultrapassando investimento de R$ 33 milhões.  Desde a assinatura, todas as empresas têm 90 dias para a instalação dos equipamentos. 
 

Radares Desligados

Na última terça-feira foi aprovado pela Alerj, em primeira discussão, o projeto de lei que determina que os radares, fixos ou móveis, usados na fiscalização de velocidade ou avanço de sinal, operem das 6h às 22h. De acordo com a proposta, as concessionárias e demais instituições responsáveis pela gestão dos radares terão 60 dias para se adequarem. O projeto ainda será votado em segunda discussão, sem data definida.

 

 
Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top