Assine o fluminense

RH-LF realiza seu XIII Congresso

Alterações no mercado de trabalho atual e desenvolvimento da tecnologia foram os temas do evento

Encontro aconteceu ontem no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL)

Lucas Benevides

As intensas alterações no mercado de trabalho atual, possibilitadas pelo desenvolvimento da tecnologia, foram tema do XIII Congresso “Gestão 4.0 – Evoluindo Pessoas, Processos e Tecnologias”, apresentado pelo Instituto de Recursos Humanos do Leste Fluminense (RH-LF). O encontro aconteceu nesta quinta-feira (8) no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói, no Centro.

De acordo com a presidente do instituto, Edmara Uchôa, o assunto deste ano foi escolhido por conta de mudanças e revoluções tecnológicas que têm acontecido no Brasil e no mundo, sendo necessário que os profissionais pensem o que esperam do futuro. Desta forma, o pensamento do profissional de recursos humanos está mudando do tradicional para a utilização de ferramentas que possam otimizar o serviço.

“As pessoas estão reagindo às mudanças tecnológicas e como isso acrescenta para o RH. Sabemos que muitas empresas e funcionários acham que o trabalho é apenas ‘face to face’, mas a gente pode se alinhar à modernidade e trazer ferramentas. Queremos abrir esse horizonte para que vejam que veio para agregar”.

Segundo Edmara, as ferramentas trazem possibilidades como mais rapidez em uma análise comportamental, que pode ser feita em até dois minutos, diferente de antigamente, quando eram necessários dias para a conclusão do trabalho. Além disso, também é possível otimizar análises de clima e melhorar a gestão como um todo.

Após a escolha do tema, o instituto selecionou palestrantes que estivessem de acordo com a mudança e evolução do serviço. Um deles foi o especialista em Gestão de Tecnologia Luiz Eduardo Campino Rodrigues, que apresentou a palestra “Mundos Contemporâneos Demandam Ações Pós-Contemporâneas”. A ideia era fazer uma reflexão sobre o comportamento do profissional diante do mundo atual e do futuro. Para isso, foram apresentados 11 comportamentos indispensáveis para se viver no mundo pós-contemporâneo.

“Percebi na minha jornada que estamos sempre correndo atrás de um prejuízo, o mundo evolui e a gente reage. Me parece que o segredo do sucesso está em se antecipar a essas evoluções. Apenas cerca de 10% das nossas indústrias estão efetivamente preparadas para a Revolução 4.0. A questão já aconteceu e estamos despreparados, alguém vai ocupar esse espaço”, disse, explicando que para se preparar para o momento, é preciso estudar tendências, não apenas estudar o cenário.

Além dele, também apresentaram conceitos sobre o tema os palestrantes Pedro Bezerra e João Pedro Gravino, Alberto Bastos, Rafael Sommerfeld e Maria Luiza Reis. O encontro foi encerrado com a apresentação da Orquestra de Cordas da Grota do núcleo do Badu.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top