Assine o fluminense

Ruas submersas e caos no trânsito de Niterói

Temporal provocou alagamentos em diferentes bairros da cidade

Carros não conseguiram trafegar na Rua Paulo César, em Santa Rosa.

Foto: Via WhatsApp OFLU

Pelo segundo dia consecutivo, as cidades de Niterói e São Gonçalo foram inundadas pelas águas das chuvas que atingiram a Região Metropolitana, entre a madruga e o início da tarde desta sexta-feira (23). Devido aos alagamentos, diversas ruas foram obstruídas pelas enchentes e o congestionamento foi intenso em ambos os municípios. As cidades estão em estado de atenção, conforme aponta a Defesa Civil. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), Niterói e São Gonçalo seguem em zona de risco potencial, e a previsão é de chuva forte e rajadas de ventos até a manhã deste sábado (24).

Em Niterói, o temporal durou cerca de 30 minutos, mas foi o suficiente para inundar diversos pontos das zonas Sul, Norte e Região Oceânica. As áreas mais afetadas pelas chuvas foram os bairros do Centro, Fonseca, Icaraí, Ingá, Santa Rosa e Itaipu. Nessas áreas, o alagamento bloqueou o tráfego de veículo nas vias e o trânsito ficou intenso entre os horários das 11h às 14h30.

Na Avenida Roberto Silveira, em Icaraí, o volume da água gerou uma intensa correnteza no meio da pista e os pedestres precisaram dar as mãos, formando uma grande corrente humana, para conseguirem atravessar sem serem levados pela força da água. Nas ruas Lopes Trovão e Joaquim Távora, localizadas no mesmo bairro, os pedestres se abrigaram embaixo de marquises, e os motoristas foram obrigados a esperar a água escoar para seguir viagem.

Em meio ao caso que se tornou a cidade, o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, anunciou que um projeto com investimento superior a R$ 11 milhões está em andamento para ampliar a drenagem que já existe na região da Bacia de Icaraí, melhorando o escoamento na Roberto Silveira, e também no Barreto.

“Já existe uma rede de drenagem nessas regiões, mas que não suporta um volume tão grande de chuva, como tivemos nas últimas 24 horas”, explicou Neves.

Trânsito deu um nó por conta da chuva

Foto: Lucas Benevides

Trânsito - Na Avenida Almirante Ary Parreiras, o canal que corta a via transbordou e interditou completamente o tráfego. Algumas escolas da região suspenderam as aulas, devido à dificuldade de acesso às ruas do bairro. Na Avenida Jornalista Francisco Alberto Torres, o engarrafamento intenso fez com que alguns motoristas recorressem a manobras irregulares para fugir do congestionamento. Pelo menos três carros foram flagrados realizando bandalhas e cortando o trânsito pelo calçadão da orla, por volta das 13h. 

“Estou assustada com o estado que a cidade ficou em apenas meia hora de chuva. O trânsito está um caos, e as ruas completamente intransitáveis. Esse é um cenário que se repete a cada temporal, e pode piorar no mês de março, quando o fim do verão chegar. Estou preocupada, porque preciso ir para casa, mas estou me sentindo ilhada no centro da cidade,” afirmou a massoterapeuta Andréia Vidal, de 35 anos. 

O que mais assustou os motoristas foi a falta de orientação no trânsito. Em toda a extensão da Avenida Visconde do Rio Branco, assim como em outras vias do Centro, além de outros bairros, não se via agentes de trânsito atuando para minimizar o caos. Como resultado, diversos cruzamentos ficaram obstruídos, impedindo a fluidez do tráfego. 

Segundo o prefeito Rodrigo Neves, a falta de homens da NitTrans na rua se deu porque os agentes “não receberam todo o comando necessário para que estivessem na rua no horário da chuva, de 10h30 às 11h”.

Ainda de acordo com o gestor, os agentes de trânsito chegam às 5h30 e ficam até as 10h atuando no horário de rush. A partir desse horário, então, “eles geralmente param para o lanche e retornam no horário de início do rush da tarde”. 

Recém-casados aproveitaram o alagamento em Icaraí para garantir as fotos do casamento.

Foto: Beto Padilha / Divulgação

Em Charitas, os síndicos dos edifícios e comerciantes estão convocando os moradores para uma reunião emergencial com representantes da prefeitura. O motivo seriam os problemas de inundação na Avenida Silvio Picanço, que se tornaram frequentes após a inauguração da garagem subterrânea. De acordo com o síndico de um dos prédios da orla, Leonardo Fonte, a construção do estacionamento bloqueou o escoamento da água da chuva para o mar.

“Um grande bolsão de água se formou no meio da pista e o trânsito ficou completamente parado até os acessos ao bairro do Cafubá. A obra da garagem subterrânea foi executada sem planejamentos, porque a água fica toda retida no solo e não tem acesso para escoamento,” disse.

A Niterói Rotativo, que administra o estacionamento, alegou que não houve quaisquer danos aos motoristas e que nenhum carro ficou submerso, acrescentando que “as bombas estão funcionando ininterruptamente, garantindo a dragagem devida”. 

Para minimizar os impactos que o rastro da chuva deixou, Rodrigo Neves informou ainda que equipes estão de prontidão nas ruas. 

“Determinei que equipes da Clin e da Seconser façam hora extra hoje até altas horas, para que nenhuma região sofra com acúmulo de lixo ou entulho por causa da chuva”, ressaltou o prefeito.  

Cenas Inusitadas - Apesar dos transtornos, a chuva se tornou um cenário inusitado. Um casal protagonizou um ensaio fotográfico de casamento um tanto peculiar, que viralizou nas redes sociais. Em meio a um alagamento na Rua Presidente Backer, em Icaraí, o fotógrafo Beto Padilha, morador de Santa Rosa, propôs aos recém-casados Vivian e Paulo Almeida a recordação em forma de protesto.  

“Fui para o cartório fotografar o casamento de um amigo meu. Estava chovendo muito e ficamos esperando a água baixar durante uma hora. Na entrada, vi um fusca e imaginei uma foto ali, mas sem toda aquela água”, contou. 

Segundo Beto, ao ver todos entrando e saindo do cartório completamente molhados pela chuva, a ideia surgiu. 

“O noivo era meio descolado, então logo cheguei nele e fiz a proposta de fazer umas fotos bem ali, no meio da água. Ele achou estranho, mas logo topou, e a noiva também. É uma forma de denúncia, mas não esperava toda essa repercussão”, declarou Beto Padilha.

(Colaboraram: Pamella Souza, David Tavares e Isabele Villas Boas)

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Sebastião
Conforme a Prefeitura e sua incompetência que deveriam desobstruir os bueiros da cidade para prevenir o que esta acontecendo e não o fazem. Ficam dando justificativas evasivas a população.
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

João Carlos Viegas
Fiquei preso no congestionamento mais de 2 horas do Centro para Icaraí e não havia alternativa.
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

Veja também

Scroll To Top