NITERÓI/RJ
Min:   Max:

São Francisco: moradores temem queda de árvores

O professor universitário Jorge de Souza mostra danos que as raízes provocam nas calçadas e na rede de esgoto

Evelen Gouvêa

Assustados com o temporal e a ventania que castigaram o Estado do Rio de Janeiro na noite de quarta-feira, causando a queda de várias árvores, moradores de São Francisco, na Zona Sul de Niterói, pedem atenção para os espécimes vegetais de grande porte do bairro. Em ruas como Tupiniquins, Guaianases e Carajás, onde já ocorreram acidentes, há várias solicitações para a realização de poda e substituição de vegetação.

Várias amendoeiras e flamboyants estão espalhados pelo bairro. Em alguns pontos, o tronco alto assusta, assim como a copa repleta de galhos. De acordo com moradores do bairro, não é difícil acontecer acidentes com galhos que se soltam. Na última quarta-feira, uma árvore tombou na Rua Tupiniquins e deixou residências sem energia por mais de 24h, além de danificar calçadas.

“Ventou muito naquela noite e a árvore tombou na rua, arrebentou fios e quebrou um poste. Ficamos mais de 24h sem luz e a energia só foi normalizada quando uma equipe da concessionária veio de Magé. As outras árvores da rua estão danificando calçadas e fios”, contou a fotógrafa Christiane Barros, 38 anos.

Morador no bairro há 10 anos, o professor universitário Jorge Carlos Dias de Souza, de 68, diz que há cerca de quatro anos a vizinhança reivindica auxílio da prefeitura na substituição de algumas árvores das ruas Tupiniquins, Guaianases e Carajás, mas apenas uma foi suprimida e outras podadas. Para ele, é preciso atenção nas condições da vegetação para que mais acidentes não aconteçam, já que os troncos estão tombando.

“Não queremos acabar com as árvores, queremos substituir essas espécies que não são próprias para os meios urbanos e já estão doentes, com parasitas, pois estão causando acidentes, quebrando casas e carros. É perigoso. As raízes estão danificando calçadas, rua e até indo parar na rede de esgoto, que sempre precisa de manutenção”, alertou.

Na Avenida Rui Barbosa, no mesmo bairro, próximo ao número 325, galhos de uma árvore, tombando, oferecem risco a quem passa pela rua. 

Em Charitas, no Cemitério São Francisco Xavier, uma árvore na parte da mata da Igreja de São Francisco Xavier está tombada e sendo escorada por outra. Caso o tronco caia, pode danificar o muro e os jazigos do local.

Transtornos – Com o temporal de quarta-feira, muitas ruas de diversas regiões de Niterói ficaram obstruídas por quedas de árvores. Os pontos mais atingidos foram São Francisco e bairros da Região Oceânica.

Questionada sobre a fiscalização, poda e supressão de árvores, a Prefeitura de Niterói informou que a Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (Seconser) e a equipe de Áreas Verdes atua de forma preventiva, utilizando um protocolo que identifica árvores com risco de queda, e monitora outras para verificar se ações fitossanitárias realizadas surtiram efeitos, podendo retirar ou não as árvores da lista de supressão.

Segundo a prefeitura, desde quinta-feira várias equipes estão atuando diuturnamente para restaurar a acessibilidade e minimizar riscos em todos os bairros e comunidades de Niterói. Em São Francisco, um protocolo com as árvores em risco foi fornecido em 2018 tendo como mediadora uma pessoa do movimento SOS São Francisco, os pontos, no entanto, não foram divulgados.

Sobre o  replantio, foi ressaltado que sempre que o logradouro público onde se retirou uma árvore permite um novo plantio, esse é realizado, preferencialmente de comum acordo com o proprietário do imóvel. Já em relação aos pontos citados por moradores, a Seconser informou que estes fazem parte de informações que foram disponibilizadas por setores diversos da administração e, como em outras áreas da cidade, estão sendo vistoriados.


Scroll To Top