Assine o fluminense

Temporal deixa rastro em Niterói

Jurujuba ainda se recupera dos estragos provocados pelo temporal. Moradores do bairro sofrem com os reflexos dos problemas

Ainda sem previsão de obra, Jurujuba tem apresentado problemas no trânsito

Marcelo Feitosa

O bairro de Jurujuba, na Zona Sul de Niterói, ainda sofre com os prejuízos causados pelo temporal que caiu na última quarta-feira. Na entrada do bairro, na Avenida Carlos Ermelindo, motoristas e pedestres precisam passar por uma nuvem de poeira formada pela terra que deslizou das encostas. No local, seis agentes da Niterói Transportes e Trânsito (NitTrans) ajudavam a organizar o trânsito, que foi afetado devido aos detritos que invadiram a pista. De acordo com a Prefeitura de Niterói, ainda não há previsão de obras para o local. 

A poucos metros dali, uma casa localizada no número 77, onde a forte chuva acabou provocando a queda do muro da residência e a caixa d’água foi danificada e arrastada pela correnteza, uma equipe da Defesa Civil vistoriou o espaço e emitirá, no prazo máximo de 15 dias, um relatório que apontará as medidas necessárias para reparar os estragos.
 
“Este deslizamento foi e continua sendo um transtorno para quem mora em Jurujuba. Quem precisa passar pela Avenida Carlos Ermelindo, precisa sair meia hora antes de casa porque o trânsito por ali ficou muito ruim. No dia do temporal, a Avenida ficou uma piscina. Hoje, resta lama, poeira e engarrafamento”, afirmou o contador José Carlos Ribas, de 50 anos, que é morador do bairro. 

Área do deslizamento na Fagundes segue isolada e os trabalhos seguem no local

Marcelo Feitosa

Fagundes – Entre o Ingá e Icaraí, motoristas também tem enfrentado minutos a mais no trânsito devido às obras de contenção de uma encosta da Rua Fagundes Varela, que também foi alvo de deslizamentos no final de janeiro. O local recebeu, no início de fevereiro, a visita do prefeito Rodrigo Neves, que na ocasião anunciou que as obras são prioridade em seu governo em razão da importância da via para a mobilidade da cidade e também por haver riscos para as famílias do local.

A obra de contenção de encostas, cujas intervenções incluem a construção de uma cortina atirantada e solo grampeado, devem ser concluídas em seis meses, segundo informou a Prefeitura. 

Do local já foi retirada uma quantidade de terra equivalente a 100 caminhões, que de acordo com o prefeito está sendo levada para um terreno em São Francisco para ajudar no combate aos focos de reprodução do mosquito aedes aegypti, que transmite a dengue, zika vírus e a chikungunya. Na Fagundes Varela também já foi realizada a topografia do espaço e a sondagem. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top