Assine o fluminense

‘Ponto de vista’ no Teatro da UFF

Deficiente visual, Jefferson Farias, o Jeffinho, mostra com humor que não há empecilho para o trabalho e a realização

Nascido em São Gonçalo, Jeffinho é cego desde os 11 anos

Foto: Divulgação

Por André Bernardo 

Destaque no meio humorístico, o ator Jefferson Farias, também conhecido como Jeffinho, fará únicas sessões nos dias 16, 17 e 18 de agosto, sexta e sábado, às 20 horas, e domingo, às 19h, da comédia “Ponto de Vista”, no Teatro da UFF, no Centro de Artes UFF, em Icaraí – Niterói. 

O espetáculo conta com direção de Alexandre Régis e traz Jefferson reunindo inúmeras histórias do cotidiano de um deficiente visual, colocadas numa narrativa bem-humorada. Através da comédia teatral, o público passa a participar das vivências e observações relacionadas ao dia a dia de um cego com versatilidade e bom humor sobre temas relacionados à vida.

“Nesse espetáculo, além do humor propriamente dito, queremos passar a mensagem que todo mundo é igual. Como deficiente visual, essa temática da acessibilidade é muito forte na peça, mas procuro um discurso leve, porque acredito que a mensagem não passa se não for transmitida de forma natural”, conta Jeffinho.

O cenário é composto por piso tátil, por onde o ator circula ao longo do espetáculo. A ambientação, ainda maior sobre o universo dos cegos, se dá ao longo da peça onde Jefferson também convida o público a participar de uma experiência sobre seu dia a dia, ao vivo, em que cada espectador, por alguns minutos, passa a experimentar o cotidiano dos deficientes visuais.

“Nas ruas até me pedem autógrafo, aí escrevo do jeito que dá. Hoje sou abordado quase todos os dias para tirar uma selfie!”, revela o ator.

Realizado, Jeffinho dá a receita para que as pessoas com deficiência visual, assim como ele, possam alcançar o sucesso profissional.

“Trabalhar bastante e fazer com vontade aquilo a que você se propõe. Se você gosta só um pouco, desista”, afirma.

Relacionamentos, tendências contemporâneas, moda, entre demais assuntos, também são ingredientes do cardápio sobre o qual o jovem artista lança o seu “olhar particular”.

Nascido em São Gonçalo, Jeffinho é cego desde os 11 anos. Ele diz que não chegou a se deprimir, mas passou por momentos de revolta de “Por que eu!?” “Por que comigo?” 

“A maior dificuldade foi quando fui voltando à vida normal, só que cego. Escola, sair para as festas. Eu tinha vergonha. Só aprendi braille e a usar bengala com uns 15, 16 anos. Conhecer deficientes visuais que já eram independentes havia algum tempo foi o que me ajudou a aceitar a minha condição. Aí eu comecei a entender que havia luz no fim do túnel, embora eu não a visse”, brinca. 

O Teatro da UFF fica na Rua Miguel de Frias, 9, em Icaraí. Preço: R$40. Classificação: 14 anos. Telefone: 3674-7515.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top