Assine o fluminense

Abracadabra!

Gonçalense Frederico Reder traz para a Concha Acústica o Reder Circus a partir do dia 9 de março

Show circense traz atrações nacionais e internacionais como trapezistas, acrobatas, palhaços e muito mais

Divulgação

Você tem um sonho? O gonçalense Frederico Reder tinha e, após muito esforço, dedicação e amor, vive este sonho com o Reder Circus, seu projeto circense que chega a Niterói no próximo sábado (9) com o espetáculo “Abracadabra”.

O show circense traz atrações nacionais e internacionais, como a Trupe Africana de acrobatas, a família Romero - especialista em báscula e maca russa -, o paradista peruano Juan e a família de trapezistas Icarios Palma Diaz, do Equador. Sem esquecer, é claro, dos palhaços, do mágico Wander Rabelo e dos Animágicos, que são estruturas de tamanho real que ganham “vida” na hora do show. O espetáculo conta ainda com um globo da morte com sete motos, sendo que duas são pilotadas por mulheres. Na parte musical, a direção fica por conta de Gabriel Guilherme, que rege uma orquestra composta por nove músicos e com as vozes da cantora niteroiense Thalita Pertuzatti, do tenor Pablo Braunna e da atriz Giu Mallen, que lidera uma trupe de 25 bailarinos. 

Toda essa rica lista de atrações é liderada pelo anfitrião Frederico Reder, criador deste mundo mágico. 

“O nome do espetáculo é ‘Abracadabra’ porque significa ‘tudo o que falo, acontece’, e eu acredito no poder da palavra. Eu sempre falei que montaria um circo e que ele seria um sucesso, e hoje é uma realidade. Eu espero que as pessoas possam revisitar sua infância, lembrar e reviver seus sonhos e seguir lutando por eles”, revela Frederico, que comemora o fato de estar com seu sonhado espetáculo em Niterói, uma cidade que faz parte da sua vida e carreira: “Esta temporada tem um valor enorme para mim, porque muitas vezes eu saí de São Gonçalo para assistir ao circo e sonhar em Niterói”. 

Atualmente, Reder considera seu circo como a coisa mais importante da sua vida profissional, pois ele une todas as artes, como teatro, música e artes plásticas. Ser o mestre de cerimônias não era um plano do artista, mas sua facilidade e proximidade com público tornaram tal função um momento de muita emoção nas apresentações de “Abracadabra”.

“É uma forma de dividir e compartilhar todos os desejos e formas de pensar. Muitas pessoas se identificam, gostam, voltam e me elogiam muito nas redes sociais por conta deste trabalho. Tudo o que conquistei foi convencendo as pessoas de que os meus desejos dariam certo, e hoje eu compartilho minhas crenças com as pessoas que vêm assistir ao meu circo”, conta Frederico, que no futuro pretende se tornar palhaço do seu circo. “Quando tudo estiver mais calmo e ajustado, eu quero me aposentar como palhaço de circo”, finaliza.

 
Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top